terça-feira, 13 de junho de 2017

2: Never Done This Before

If you could do something that you never have done before, what would it be?  Why would you want to do it?

Tenho o diabinho num ombro e o anjinho do outro. Sim, podem imaginar como vemos nos desenhos animados porque é assim que os estou a imaginar.
O primeiro segreda-me ao ouvido "porque te meteste nisto? não sabias já das tuas limitações? volta mas é para o teu lugar e deixa-te de coisas!". O segundo reitera "força aí! ultrapassa os teus próprios limites! o que tens a perder?".

A verdade é que vou avançando muito a medo.
Mas porque achei que seria uma boa ideia fazer um salto de paraquedas quando tenho vertigens horríveis???
Eu sei porquê... Porque, apesar das vertigens serem um medo quase incapacitante, sempre achei que a liberdade sentida em pleno "voo" deve ser indescritível.

E por isso avanço pé ante pé. O instrutor vai dando as informações necessárias para que o salto seja feito em segurança mas o meu cérebro entrou em modo automático.

Entro no avião com o cérebro em branco.
Ouço os motores a trabalhar, as hélices a iniciar rotação... o avião começa o seu percurso na pista e, quase sem me dar conta, já estamos nas alturas. Mentalmente começo a contar até 100. Preciso de ocupar o cérebro e esta é a forma mais simples de o fazer. Estou prestes a desatar aos gritos mas da minha boca apenas saem quase em surdina "47, 48, 49,...".

Chega o meu momento. Agarro a cadeira como se não houvesse amanhã mas tenho vergonha que o instrutor perceba que estou quase paralisada.
Por isso, levanto-me e digo que sim com a cabeça enquanto ele se vai ligando a mim por meio de toda uma parafernália de acessórios.
A porta do avião abre-se e vejo o céu azul à minha frente. O instrutor diz qualquer coisa que não consigo perceber devido ao barulho dos motores e..... AAAAAAHHHHHHHHH

Acordo com o meu grito e percebo que tudo não passou de um sonho, ou melhor, de um pesadelo!

Sem comentários:

Enviar um comentário