segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Actor!

Actor é aquele que sente, o que transmite o que lhe vai na alma mas que ao mesmo tempo enverga uma máscara intransponível. Porque nem tudo pode ser partilhado com o público.

Os bons actores que conheço são pessoas marcadas pela vida. São pessoas que vivem intensamente cada momento. São aqueles que não têm medo de viver mesmo que isso signifique saírem  magoados uma e outra vez. Ou então têm medo... mas fingem que não têm! E lançam-se sem rede.

Por vezes, tudo é tão intenso que acaba por ser difícil chegar ao fim de um trabalho e dizer um "adeus" ou um "até já" (queremos sempre que seja um "até já" mas nem sempre o é).
Primeiro porque aqueles colegas que nos acompanharam durante todo o processo acabaram a fazer parte da nossa família. Segundo porque aquela personagem passou a fazer parte de nós. Simplesmente dói demais deixar a família e uma parte de nós no passado para buscarmos novas experiências.

Eu não me sinto uma boa actriz. Sinto que desabei antes do tempo. Sinto que desiludi quem me acompanhava. Ou então desiludi-me a mim mesma porque achava que tinha estrutura para aguentar mas quando me vi numa rede de emoções fortes descobri que não consigo.
Não fui capaz de dizer o tal "até já" (ou será que vai ser um "adeus"?) e arrependo-me disso desde o momento em que o fiz. Estive quase a voltar atrás mas já era tarde. A decisão estava tomada e não havia nada a fazer.
Agora é viver com essa decisão. E olhar para trás com um sorriso nos lábios e uma lágrima no olho.

2 comentários:

  1. "quando me vi numa rede de emoções fortes descobri que não consigo" - Não consegues mesmo ou criaste limites e achas que não consegues?! Não devemos criar limites que nos impossibilitem de fazer o que queremos. Sei que há situações em que não há mesmo nada a fazer, e por isso digo que tens razão: É viver com a decisão... mas encarar as coisas como um recomeço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. acredito que não me tenha limitado... até porque me debati com essas emoções até ao momento em que me vi completamente vergada e sem possibilidade de reação.

      Eliminar