terça-feira, 14 de julho de 2015

Tu e eu, eu e tu, nós e um dia quem sabe!

Sabes que o efeito que tens sobre mim é enebriante. Rodeias-me e encantas-me como ninguém. Fazes com que se soltem borboletas na minha barriga só de saber que pensas em mim e em ti e em nós.

Quero-te mas não te quero, queres-me mas não me queres.... Temos uma dança constante de encontros e desencontros. Entras e sais do meu espaço a teu bel prazer e sem pedir qualquer licença. E eu sorrio ao te ver chegar.
Quero que estejas aqui mas ao mesmo tempo desejo que te vás embora. Porque estares aqui pode levar a um sofrimento que não me permito sentir.

Brincas comigo ao mesmo tempo que eu brinco contigo. E ficamos assim... apenas e só assim.

Mas quem sabe se um dia não será diferente? Se não haverá um dia em que nos busquemos sem artifícios, sem culpa, sem julgamentos.

Talvez, quem sabe, um dia!

Sem comentários:

Enviar um comentário