quarta-feira, 22 de abril de 2015

30 horas!

Não, eu não preciso de dias de 48 horas. Eu só preciso de dias de 30 horas.
Será que há algum ser divino que atenda o meu pedido?

É que entre trabalho, ginásio, curso, todo o tipo de lida doméstica, família e algum (pouco, muito pouco) divertimento, começa a sobrar pouco tempo para dormir.
Sim, as 6 horas diárias que estou a pedir seriam utilizadas para dormir! Estão a perceber o quão desesperada estou a ficar???

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Beleza

Leio uma notícia que anuncia que há uma nova sensação nas passerelles mais conceituadas do mundo. Uma adolescente (desculpem-me mas com 17 anos eu não considero que seja uma mulher) que dizem ser de uma beleza rara.
 
Observo as fotos que acompanham a referida notícia e vejo uma "criatura" magra que mete dó, com cara achatada e orelhas demasiado grandes para a cara que possui. Depois de ver essas fotos só consigo interrogar-me onde raio está a tal beleza rara? Dizem que tem feições simétricas e isso, segundo estudos que já li anteriormente, é um dos factores que nos faz determinar a beleza de alguém. Mas é apenas um dos factores... e eu, ao olhar para aquela rapariga, só consigo ver "algo" de muito estranho e que não tem características que eu considere belas (mas isto é uma opinião pessoal).
 
Toda esta reflexão leva-me a outro assunto que já debati com algumas pessoas e que, cada vez mais, acredito ser verdade.
Os grandes estilistas ODEIAM as mulheres.
Que outra razão encontram para que as modelos sejam autênticos cabides a quem qualquer trapinho não assenta em condições porque só têm ossos a espetar da pele? Ou que tenham feições completamente andrógenas?
Eu sei que estou a generalizar e fazer generalizações é extremamente perigoso mas, ultimamente, estes têm sido os exemplos de "grandes modelos" que se vêm nas passerelles e simplesmente fico a olhar sem saber muito bem como reagir.
 
O problema nisto é que estes passam a ser os modelos que a sociedade admite como beleza. São os modelos que nós, mulheres, olhamos com admiração e desejo de replicar. Queremos ser magras ao ponto de se verem os ossos, queremos ter feições estranhas, queremos ser algo de muito diferente daquilo que somos... só porque nos dizem que isso é belo.
Por muito que não queiramos, acabamos sempre por ser um produto da sociedade e por ser influenciados por estas opiniões dos "especialistas em beleza".

Mas sabem o que vos digo? Nós somos todas bonitas mas não tendo feições andrógenas e não se vendo os nossos ossos. Por isso, mulheres deste mundo, gostem de vós próprias e uma grande parte dos vossos problemas se irá dissipar.


sexta-feira, 3 de abril de 2015