quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Começo a parecer um disco riscado

Cada vez que um profissional de saúde vê as minhas análises ao sangue, seguem-se sempre as mesmas recomendações:

* tem de comer menos carne e mais peixe,
[sendo que apenas como carne branca, no máximo, 1 vez por semana... quer que corte onde?]

* não deve comer enchidos,
[ora a parte em que eu disse que apenas como carne branca caiu onde? saco roto? não vou afirmar a pés juntos que NUNCA como enchidos... mas se lhe disser que é 1 vez por mês já estou a ser generosa]

* não pode comer muitos ovos,
[no máximo 3 ovos cozidos por semana parece-lhe excesso?]

* reduzir no queijo e na manteiga,
[não tenho "ordens" para comer queijo... mas uma vez por outra como um pouco de queijo. e devo comer manteiga 2 vezes por semana, ao pequeno-almoço.... parece-lhe muito?]

* deve reduzir nos doces
[este é um problema na altura pré-menstrual.... mas é mesmo só nessa altura. no resto do mês consigo controlar bem com chocolate preto. agora descobri um no Lidl com 80% de cacau que é uma delicia]

Já experimentei várias "dietas" e esse valor não mexe por mais saudável que o meu estilo de vida e dieta sejam.
Até posso dizer que a única vez que me lembro que esse valor esteve normal foi numa altura em que eu estava com uma alimentação HORRIVEL.

Agora que escrevi este post... vou copiar o seu link e levá-lo comigo sempre que for ao médico. Assim evito esta sensação de disco riscado.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Só para que fique registado....

Por causa deste post e da actual situação com a Renée Zellweger, quero aqui esclarecer que eu não fiz nenhuma operação plástica, ok?

Eu sei que a Renée também veio dizer que não fez.... mas com as alterações que ela tem, desculpem mas estou no meu direito de não acreditar.

Antes
Depois

[fui buscar uma foto do antes onde ela até está magra e, parece-me, ainda não tinha feito alterações... há muitas fotos que, nitidamente, foram "intermédias"]

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Dias

Há dias em que, sem percebermos muito bem porquê, parece que custa até para respirar.
Ouvir o despertador tocar, pegar nele para o desligarmos, mexer os pés e as pernas para sairmos da cama... só com estes pequenos movimentos temos a sensação de que estamos a tentar mover uma montanha que não mexe nem um milímetro.
Nestes dias há que combater a inércia e levar a vida sem pensar no que não nos apetece fazer... sem pensar que preferíamos passar o dia sem levantar a cabeça da almofada.

Depois há os dias em que temos a energia em alta e tudo nos parece fácil de concretizar. Temos pressa e vontade em fazer todas as tarefas que nos propõem e que nós mesmos nos propomos.
Temos força e somos capazes de nos fazer levar ao limite das nossas capacidades físicas e mentais.

Quando nos deparamos com um dia como o descrito em primeiro lugar... há que pensar que os dias seguintes serão como os segundos!

Previsível!

Digo a uma amiga que estou a ver uma determinada série como introdução para lhe fazer um comentário....
Sem ter tempo de fazer o comentário, ela responde de volta "gostaste do L.!"

Fogo! Sou mesmo previsível! (sim, porque gostei mesmo do L.)

domingo, 19 de outubro de 2014

Numa espécie de descubra as semelhanças

Agosto 2010

Setembro 2014

Valham-nos os registos fotográficos para conseguirmos perceber as mudanças que ocorrem ao longo do tempo... Ver a foto de 2010 faz-me quase dizer que aquela pessoa não era eu! Mas a verdade é que sou.

Conseguem perceber que até o formato da cara é diferente???? :S

[Rui, desculpa ter usado uma foto em que estou contigo mas as últimas fotografias que tirei foram mesmo as do teu aniversário...]

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Paixões

Sou aquilo que se pode chamar de "late bloomer". Depois dos 30 descobri que tenho paixões que estavam adormecidas. Só me dei conta disso quando sacudi a poeira do esqueleto e comecei a mexer-me.

Uma dessas paixões. Aquela que me faria deixar tudo para trás (se tivesse condições para o fazer) é o teatro. Se me dissessem que me pagavam os estudos, comprava hoje a viagem para Londres.... mas a vida não é assim. Ah! E complementava os estudos de teatro com o canto. Bolas! O que eu gosto de cantar e só descobri já tão tarde. *snif*snif*

A minha segunda paixão (mas esta é mesmo hobby) é a cozinha. Gosto de inventar pratos com os ingredientes que me saem do frigorífico. Ficam sempre feios que até mete dó.... mas saborosos! Ui, ui! Acho que, no dia em que tiver de dividir casa com alguém (se é que algum dia isso vai voltar a acontecer), vou ter um grande problema nessa área.... é que aquilo que eu gosto não é do agrado da maior parte das pessoas. Neste momento estou com um tipo de alimentação que será difícil de conjugar... principalmente se a outra pessoa tiver um gosto muito tradicional.
Aqui, provavelmente, também vem ao de cima a minha alma de química! Gosto de combinar sabores improváveis.

A minha terceira paixão é o exercício físico. E não estou a falar de yoga, pilates ou coisas paradinhas (atenção, não estou a desvalorizar... aliás, sei muito bem que me fazia falta qualquer coisa destas para melhorar a flexibilidade).
Estou a falar de cycle, combat e coisas que tais.... Hoje, ao fazer a aula de combat, dei comigo a pensar que gostava mesmo de fazer uma aula de porrada à séria! E foi aí que percebi que quem me conheceu na adolescência (onde eu tinha aversão ao exercício físico) com toda a certeza que não me iria reconhecer no ginásio que frequento.

É impressionante a reviravolta que as nossas vidas podem dar... e as descobertas que podemos fazer sobre nós próprios.

domingo, 5 de outubro de 2014

No meio do azar...

... tive alguma sorte (muita sorte seria se o senhor simpático tivesse sido um doce e deixado os meus documentos disponíveis para me serem devolvidos).
Como estou a tratar de ter umas férias de dolce fare niente bem longe das terras lusitanas, tirei o passaporte a semana passada. Ou seja, pelo menos tenho 1 documento oficial que eu sou Sofia e não uma Maria qualquer a fazer-se passar por mim. (espero que isso seja suficiente para tirar os novos documentos).

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Se calhar preciso mudar qualquer coisa....

O corpo dá sinais de que há algo de errado e precisa de ser mudado há muito tempo. O grande problema é que a cabeça não o acompanha e acha sempre que pode fazer mais qualquer coisa. Por isso vamos tentando sempre superar mais e mais e mais.

Até ao dia em que percebemos que não pode ser assim. Se esticarmos um pouco mais a corda ela vai partir e nós vamos cair redondos no chão.

Esse é o dia em que deixamos de querer saber. Temos de olhar para o nosso próprio umbigo e deixar de pensar no resto. Mais ninguém vai sequer considerar o estado em que o nosso umbigo se encontra... por isso o melhor é que cada um trate do seu.

E sabem o que vos digo? Eu vou tratar do meu!

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Ode ao senhor simpático com quem me cruzei algures entre as 21h e as 00h da noite de hoje

Compreendo que toda a situação fosse muito apetecível. Que o senhor foi tentado e as suas mãos não aguentaram a tentação. 

Mas sabe o que lhe desejo seu c*brão, filho da p*ta?
Desejo que se engasgue (e não tenha assistência médica) com a m*rda dos €20 que me subtraiu.... não pela quantia em si mas pela p*rra da chatice a que obrigou!

E a quem achar que estou a ser excessiva.... experimentem serem roubados e terem de cancelar todos os cartões bancários que têm (mais os custos que isso acarreta) juntando a isso todos os documentos (cartão do cidadão, carta de condução, etc.) que possuem. "Percam" horas de sono na esquadra da policia a fazer queixa e a fazer o cancelamento de todos os cartões possíveis e imaginários.
Só depois disso é que podem dizer se estou a ser ou não excessiva.

Já agora, por via das dúvidas, já espalhei sal grosso na porta de casa.... estou farta de mau olhado!