segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Eu sei

Eu sei que estou a fugir.
Eu sei que fujo numa base diária mas não consigo encarar a realidade de frente e "dizer-lhe" que não quero mais ser assim. Há momentos demasiado dolorosos e eu sei que deviam ser enfrentados mas que simplesmente não consigo.

Mas porque é que as datas difíceis têm de ser todas juntas? Será que se fossem espalhadas no ano não seria mais fácil de as encarar?

Talvez não... talvez assim seja melhor porque o sofrimento acaba por ficar enclausurado num determinado período de tempo.

Pode ser que haja um dia em que esta altura do ano deixe de ser dolorosa. Pode ser que eu consiga tornar a olhar para o meu aniversário com alegria e sem ter aquela sombra sempre presente.

(texto escrito algures no final de Junho/ inicio de Julho)

Sem comentários:

Enviar um comentário