segunda-feira, 31 de março de 2014

Escrever


Tenho febre.
Sinto o corpo quente e quero fazer algo para o arrefecer. Não sei de onde vem esta urgência que sinto. Este sentimento que me eleva a temperatura do corpo.
Quero libertar-me e , por fim, percebo que quero escrever. Sinto que preciso de colocar no papel estas palavras que me queimam por dentro.
Preciso que as palavras se materializem no papel, que se tornem reais aos meus olhos e não apenas sinapses no meu cérebro.

Pego em papel e caneta e desfaço o nó que está dentro de mim.
A febre acalma e eu.... eu fico vazia e a olhar para as palavras que a minha mão imprimiu no papel. Leio o que escrevi. Uma, duas, três vezes...
Como é que eu escrevi aquelas palavras? Aquilo que agora está no papel estava dentro de mim? Estas eram as palavras que me queimavam?

Tenho muitas questões e poucas respostas. Porque a vida é assim, cheia de interrogações e, por vezes, as respostas não surgem com a mesma velocidade.

sábado, 29 de março de 2014

Evolução

Tenho feito grandes progressos na minha batalha constante.... e perceber isso é muito bom para continuar na minha luta diária, semanal, mensal.
Mas olhando para os números (puros e duros) também preciso perceber que ainda tenho um grande caminho a percorrer!

So, let's go for it! :D


quarta-feira, 26 de março de 2014

Afinal valeu a pena...

Entro no ginásio e vejo, a entrar numa das salas de aula, um instrutor que me conhece.
Ele vê-me, fica à espera que eu me aproxime... cumprimenta-me e diz-me:

Mas onde é que tu vais assim toda janota?

Pronto! Já valeu a pena ter tido frio à hora de almoço e ao sair do trabalho (raio de vento frio que anda por estas bandas).

Mania!

Tenho de perder a mania de me "descascar" quando vejo uns raios de sol!

Chiça que hoje está frio!

terça-feira, 25 de março de 2014

Fogo!

Já basta de me darem das orelhas, não?
Eu sei que acaba por ajudar.... mas eu preferia não estar sempre a ouvir raspanetes das minhas amigas!

Da minha banda sonora #68


Cantar esta música em parceria com a minha querida professora e darmos o verdadeiro show!

Isso são momentos que não têm preço!

Em modo de auto-flagelamento

(a bater nas mãos)

Está quieta, Sofia Maria! O que pensas que andas a fazer?

domingo, 23 de março de 2014

O cérebro tem destas coisas

Há pouco lembrei-me de uma tia minha.... e na sequência de me ter lembrado dela, lembrei-me do que ela disse ao meu ex quando o conheceu. Basicamente ela puxou-o à parte e disse-lhe qualquer coisa como "tome bem conta dela que ela é boa moça" (isto foi-me contado por ele depois).

Nada disto seria de estranhar se eu fosse próxima dessa minha tia.
Por isso é bom lembrar que mesmo quem nos conhece pior pode ter uma boa percepção nossa pessoa. :)

quarta-feira, 19 de março de 2014

O melhor do meu dia #4

Receber elogios em catadupa. Receber agradecimentos pelo meu empenho. Perceber que o que faço acaba por agradar tanto a mim como a terceiros.
Às vezes a ficha não cai no momento exacto em que as coisas acontecem mas uns dias depois.
Foi o que aconteceu mais uma vez!
(e por causa disso hoje andei com um sorriso na cara... apesar das chatices habituais)


Olhar para as estatisticas

Olhando para as estatísticas deste blog percebo que a maior parte das últimas visualizações teve como "fonte de tráfego" um motor de busca russo, onde procuraram mesmo por "eueasminhasparvoeiras.blogspot.com".

Tendo adquirido este conhecimento curioso, gostava que quem me acompanha da Rússia (é o 2º país que faz mais visualizações deste blog) se identifique. Gostava de saber quem anda por essas bandas. :)

Da saúde, da doença e da influência que estes estados têm sobre nós (ou vice-versa)

Não foram só as experiências que vivi que me moldaram o espírito.

Na altura em que bati no fundo, a saúde deteriorou-se. Tive suspeitas de doenças graves. Fiz exames de diagnóstico penosos, dolorosos e que ainda se tornaram mais "incomodativos" por tudo o que estava a viver.
Fazê-los sem a companhia de quem eu queria ao meu lado foi qualquer coisa de profundamente marcante.
Mas, no dia em que saí de casa para os ir fazer (que ainda por cima coincidiu com o meu aniversário), tomei a decisão que, se o diagnóstico se confirmasse, esse seria o dia em que eu fazia as malas e saía dali. Eu não queria viver o resto dos meus dias naquela angústia!
Foi aí que percebi que, por vezes, a doença acaba por nos dar forças que não sabemos que existem (as minhas forças estavam em modo negativo... e aquele dia foi completamente "revigorante"). Uma coisa é vivermos o dia-a-dia com saúde e darmos por garantido o dia seguinte. Outra é termos doenças em que não sabemos como vai ser a próxima hora, quanto mais o dia seguinte!

Felizmente, o diagnóstico não se confirmou.
[Atenção, eu tinha problemas físicos bem reais... só não eram tão graves como inicialmente se suspeitou.]
Acabei por não bater com a porta ao que se estava a passar nesse dia mas fi-lo cerca de um mês mais tarde porque tudo se conjugou para que só nessa altura eu acabasse por o fazer. E a partir daí a minha saúde melhorou a olhos vistos.

Daí que eu chegue à conclusão que a minha doença estava directamente ligada ao meu estado de espírito e que o meu estado de espírito esteja directamente ligado à minha saúde.
No fundo sei que tive sorte. Tive uma estrelinha que me guiou na direcção correcta... mas sei que há muitas pessoas que não têm essa estrelinha. Que por mais alegria que tenham, a saúde não os acompanha e só podem viver um dia de cada vez, sem saberem como será o dia seguinte.

Por isso, nada do que escrevo aqui é uma verdade universal. Foi verdade para mim em determinada altura da minha vida mas nada me garante que amanhã tornará a sê-lo.

Em jeito de conclusão, acho que o importante é perceber que, tenhamos saúde ou estejamos doentes, nunca devemos dar como garantido o dia seguinte... mas também não podemos baixar os braços! Devemos lutar sempre pela nossa felicidade!

segunda-feira, 17 de março de 2014

Dúvidas existenciais!

Será que, em vez de ficar mais velha, estou a ficar mais nova?

A idade mais comum que costumam dizer que eu tenho é 27 anos (sendo que tenho mais uns quantos em cima). Ontem disseram que achavam que eu tinha 25/26.
Será que estou a andar para trás no tempo em vez de andar para a frente? Bom, dizem que os caranguejos andam para trás (é mentira, andam para o lado) por isso se calhar andar para trás no tempo é mesmo uma característica minha! :)

Mais uma vez, como é que eu não hei-de gostar dos meus meninos????

sábado, 15 de março de 2014

Parece que há coisas que me perseguem

Já apaguei o contacto. Já eliminei todos os vestígios... E mesmo assim abro contas de redes sociais que não uso com frequência (mas que já foram criadas há algum tempo) e aparece a adição de novo contacto.

Eu digo que já chega da perseguição, não? Ou será que vou ter de levar com recordações constantes dos meus erros todos os dias para o resto da vida???

sexta-feira, 14 de março de 2014

Como é que eu sei que devo estar "doente"

Não me apetece chocolates, nem doces, nem bolachas...
Ontem passei no "corredor da tentação" no supermercado e só pensar em pegar em alguma coisa já me agoniava.

Uma coisa é certa, não encho o corpo de porcarias e a carteira também agradece!

quinta-feira, 13 de março de 2014

Fotos

Ver fotos de há 4 anos atrás e pensar "C'órrore!!!!"

Em modo serviço público de divulgação de cultura #89


Consulte o programa completo da POESIA À MESA no blog  e no FB e participe!

A sério?

Mas será que as pessoas julgam que eu sou parva? Será que acham mesmo que me conseguem enganar?

Se peço os documentos A, B e C, espero que me enviem os documentos A, B e C.
Não julguem que se me enviarem os documentos A e B, eu não vou reparar que falta do documento C.

quarta-feira, 12 de março de 2014

O que está debaixo da pele

Gosto de observar quem me rodeia. Perceber quem é "visualmente" bonito e cujas características me agradam.

Mas depois, quando a coisa aperta... definitivamente não é isso que me atrai!
Gosto de quem é inteligente, culto e me faz reflectir sobre todos os pequenos pormenores. Gosto muito mais do que está debaixo da pele do que da pele propriamente dita.

Em jeito de conclusão, bonitos e broncos não é para mim!
(sim, ainda esta semana me deparei com um destes espécimes e foi essa a conclusão a que cheguei...)

Palco

Nos últimos dias houve alguém que chegou à conclusão que eu gosto do palco. E que mo disse assim, sem mais nem menos.

É mesmo verdade... Gosto de estar em cima do palco seja a cantar ou a representar.
Não me importo de me expor porque quando o faço já estou bem segura do que vou fazer (o que não impede de sentir nervos, perder o apetite durante uns dias e, consequentemente, irem uns kilos ao ar).

Quanto mais o faço menos vergonha tenho... e quem me viu em cima do palco naquele 1º recital de canto (depois de tantos anos de interregno das lides do espectáculo) e compara com a minha postura hoje em dia nestas "coisinhas" que vou fazendo, é capaz de dizer que sou uma pessoa diferente (e terá toda a razão).

Agora, neste preciso momento, faz-me falta o canto! Queria continuar a crescer nessa área mas cortaram-me as asas e estou com receio de procurar outros de quem não goste ou com quem ache que regrido em vez de evoluir. Por isso essa parte está parada mas o resto não.

Envolvo-me em projectos de representação que brotam como cogumelos na minha vida... Projectos que se sucedem uns aos outros mesmo sem eu fazer muito para que isso aconteça.
Já percebi que basta levantar uma pontinha do véu e os contactos vão acontecendo naturalmente. É que há sempre alguém que conhece alguém que precisa de uma actriz para fazer algo e eu vou fazer a perninha.
E isso deixa-me feliz.... Muito feliz!

Da minha banda sonora #67


segunda-feira, 10 de março de 2014

Coisas que os outros me dizem e me deixam abananada

E deitou a perder uma gaja gira e inteligente? Realmente, não dá para perceber os homens.

O que devo responder quando me dizem isto assim? É que eu só consigo arregalar muito os olhos e pensar: "mas essa coisa do gira e inteligente é mesmo para me definir a mim????".

E depois ficam admirados de eu gostar tanto dos meus meninos!

domingo, 9 de março de 2014

Paixões

Neste momento a minha vida é cheia de paixões: cantar, representar, escrever, ler, viajar, etc.
Podia ficar aqui a enunciar um sem número de coisas que agora enchem o meu dia-a-dia.

Depois tenho as paixões mais "tradicionais": a matemática, a química e a física. Estas paixões fazem parte da minha formação de base... e das quais tenho saudades porque, simplesmente, não as exercito de forma constante.

E assim, mantenho uma constante luta entre paixões e o rumo que segui com a minha vida e sobre o que gostaria de ter feito.

Se gostava de ter feito algo mais ligado ás artes? Gostava. Hoje gostava de viver com "as duas pernas" nas artes do espetáculo. Gostava de ter aprofundado a minha vontade de representar, gostava de ter percebido o potencial da minha voz, gostava de ter percebido mais cedo o gozo que me dá escrever, gostava, gostava....

Mas ao mesmo tempo... isso teria implicado deixar as ciências para trás ainda mais cedo. Teria implicado uma evolução pessoal diferente da que tenho hoje. Implicaria ter conhecido pessoas diferentes das que conheço hoje (e das quais gosto tanto e que tanto me ajudaram a construir-me)
E será que eu iria gostar dessa outra pessoa como gosto da pessoa que sou agora?
Talvez sim, talvez não.
O mais engraçado é que quando me perguntam se mudaria alguma coisa do meu passado, eu respondo sempre que não (e acreditem que a resposta é mesmo sincera).
Talvez isso seja o sinal que preciso para acalmar as minhas dúvidas constantes.

E assim, sou a pessoa séria e com "toneladas" de responsabilidade durante o dia.... e sou a criativa e cumpridora dos projectos que abraço durante a noite.
No meio desta azáfama, ainda arranjo tempo para tratar de mim, estar com os meus amigos (os antigos e os novos) e divertir-me! Divertir-me muito!

Sabem que mais?
Viva as paixões!!!

Just saying

É impressionante como há gente que se acha a última coca-cola do deserto e depois é tão fácil dar-lhes "chapadas de luva branca".

Já agora: 
P., adorei ver os teus pais e a tua tia... e ainda mais gostei do grunhido que a tua mãe soltou depois de eu os ter cumprimentado.
Enfim!

sexta-feira, 7 de março de 2014

Finalmente!


Vamos aproveitar o fim-de-semana? Sim?
Ah! Pois.... vou andar a correr de um lado para o outro por causa do Play Game.
Bom, pelo menos não vou andar à chuva!

terça-feira, 4 de março de 2014

Em modo serviço público de divulgação de cultura #88


Óscares

Este ano vi poucos dos filmes nomeados... basicamente vi O Lobo de Wall Street, 12 anos escravo e O Clube de Dallas.

Na categoria de melhor actor principal acho que o Leonardo DiCaprio e o Matthew McConaughey estavam em posição muito renhida... sendo que, pessoalmente, acho que o Leonardo tem vindo a crescer como actor e já merece um Óscar à algum tempo e  não gosto do Matthew mas tenho de tirar o chapéu à sua  interpretação neste filme.

Por isso, a surpresa não foi grande quando ontem de manhã percebi que o vencedor tinha sido o Matthew McConaughey. Sem dúvida que foi merecido... (se puderem vejam o filme!!!)

Já me tinha passado pelos olhos um momento em que o Leonardo congratulou o Matthew após a sua vitória mas hoje deparei-me com esta foto:


Bonito! Muito bonito!

segunda-feira, 3 de março de 2014

Em modo serviço público de divulgação de cultura #87


Este eu não poderia deixar de divulgar.... porque este é um dos meus bebés do momento! :)

Publicidade!

Acabei de receber um email de uma conhecida loja de roupa. Esse email vinha anunciar a coleção de homem.
Por acaso abri e vamos dizer que gostei muito de uma "peça" que vinha representada.
Pensei logo com os meus botões: "vou abrir o link e mandar ao X. dizendo que se ele vir um destes na rua... é para mim!!!!"

Clico em cima da imagem, abre o link... e no site da loja a "peça" não é a mesma que vem no email!!!! (já para não dizer que vem com a cabeça cortada)
Desatei-me a rir sozinha só a pensar que fui alvo de publicidade enganosa!!!!

As viagens da Sofia

Já tinha publicado uns posts de apresentação, preparação, etc. Mas hoje foi dado o 1º pontapé de arranque do meu novo canto... onde vou escrever sobre as minhas viagens.
Estes primeiros posts vão ser mais de publicação de fotos já que irão retratar viagens que já estão no passado por isso o que permanece é o registo fotográfico mais do que as emoções sentidas no momento da visita.

Se quiserem, passem por este novo espaço: As viagens da Sofia

Espero que gostem!

É importante não ter arrependimentos.


Se lerem este artigo provavelmente irão perceber que estão a aplicar alguns destes pontos na vossa vida, provavelmente vão perceber que os que não estão a aplicar fazem sentido para terem uma vida ainda melhor.

A mim, a vida ensinou-me alguns destes pontos e já não consigo imaginar-me sem os colocar em prática.

Viajar é um deles. Preferir estar sozinha do que numa relação má é outro. O inglês tem-me dado muito jeito nas viagens. Protector solar não é uma opção, é um prioridade. Parar e absorver o momento que estou a viver é outra! Etc., etc.

domingo, 2 de março de 2014

Passagem do tempo

É engraçado porque não tenho qualquer problema com a minha passagem do tempo... Tenho plena consciência que tenho 32 (a caminho de 33) anos e se há coisa que não me assusta é a idade, os cabelos brancos ou as rugas. Sou daquelas mulheres que não tem problema nenhum em dizer que idade tenho... se bem que gosto sempre de perguntar que idade acham que tenho, até porque normalmente puxam a coisa para baixo!

O engraçado nesta coisa da passagem do tempo... é que tenho bem mais dificuldade em assimilar a passagem do tempo nas pessoas que me rodeiam.

Tomar consciência que:
* os meu pais já ultrapassaram a barreira dos 70 (e não foi o ano passado),
* a minha irmã já está mais perto dos 50 do que dos 40,
* a minha sobrinha já é licenciada,
* o meu sobrinho já não é o meu bebé,
é coisa para me dar volta ao miolo e pôr a cabeça a desesperar!