quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Aprendam meus senhores, aprendam!

A motivação redobra o interesse e dobra os resultados.
Walter Grando

E depois venham queixar-se! Pffffffffffff

Eu não existo!

Acabei de descobrir ficheiros (perdidos no meu disco externo) com textos que fui escrevinhando à uns tempos... textos que tinha o intuito de publicar mas que ficaram esquecidos, a maior parte por acabar!

Tenho de recuperar os tais ficheiros, acabar de escrever os textos e publicá-los.

Agora vamos ver se eles não ficam "enterrados" outra vez.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Sensação de dever cumprido!

Chegar ao final do dia e perceber que:

* apesar de não ter cumprido com a "ementa" estabelecida para o dia de hoje, fiz escolhas saudáveis e não caí em tentações;
* saí de casa apenas com o intuito de ir fazer AQUELA aula às 8h30 da noite.... depois de um dia de trabalho e sendo que no dia anterior me deitei tarde;
* antes de fazer a aula, fiz treino de máquinas e aumentei o peso de algumas porque achei que o que andava a colocar já era "muito leve";
* quando fui buscar os pesos para fazer a aula, fui surpreendida com o comentário do professor "oh Sofia, podes pegar no haltere de 4 kg, tu consegues!"... e sim, consegui!

De certeza que, para quem está de fora, estes pontos não têm qualquer valor... para mim significam muito! Significam que há uma mudança a acontecer.... e é bom chegar ao final do dia com a sensação que hoje cumpri com o meu dever!

Em modo serviço público de divulgação de cultura #76


Em modo serviço público de divulgação de cultura #75

No ano de 2014, o Palácio das Artes – Fábrica de Talentos (Largo de S. Domingos, Porto) vai continuar a realizar as suas habituais Feiras Francas, uma mostra de produtos de origem portuguesa que permite a jovens criadores e ateliers a exposição e/ou comercialização das suas obras e produtos junto de um público vasto e interessado.

A programação encontra-se aqui.

Em modo serviço público de divulgação de cultura #74


segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Eu tenho um galo!

Tenho feito umas encomendas de sites fora do país. Até agora não me arrependi... pode demorar um bocado a chegar (até porque eu só mando vir quando os portes são gratuitos) mas têm chegado direitinho.

A melhor é que, normalmente, quando me lembro de ir verificar a entrega nos sites devidos ou quando falo no assunto, nesse mesmo dia ou no dia seguinte a encomenda chega.

Hoje fiquei a saber que podemos rastrear encomendas que vêm fora de Portugal no site dos nossos CTT... e como estou à espera de uma encomenda, fui ver qual o estado da mesma.
E não é que a encomenda deu entrada nos serviços de Lisboa HOJE! Ou seja, entre amanhã e depois deve chegar à minha caixa do correio. Boas notícias, portanto! 

Das praxes

Este tema é recorrente neste rectângulo à beira mar plantado.

Confesso que, normalmente, me mantenho calada. Já ouvi vezes demais o tradicional "levaste uma lavagem cerebral", "o que contas não existe em lado nenhum", "até podia ser assim no teu tempo mas agora as coisas são diferentes". Por isso, prefiro manter-me calada a dar o meu testemunho positivo sobre esta prática.

Há sempre reportagens de jornalistas que se infiltram e contam histórias que nem lembram ao diabo.

Mas hoje, hoje fiquei feliz ao ler uma crónica escrita no Público em Outubro do ano passado. Nela é descrita a experiência de uma jornalista que se infiltrou na praxe de Electro da FEUP... e descreveu exactamente aquilo que eu me lembro.
Acabei por comentá-la assim no meu perfil de FB:

Eu sei que a praxe, por esse país fora, não tem as melhores premissas. Eu sei que há muitas faculdades onde as práticas são terríveis (mesmo dentro da UP). Onde o caloiro tem de praticar actos inconcebíveis que põem em causa a sua dignidade humana. Eu sei tudo isso porque tenho relatos de quem viveu isso na 1ª pessoa (e tiveram o discernimento de colocar um BASTA nessas situações). 

Mas para mim a praxe é exactamente o que vem descrito nesta crónica. Acima de tudo é respeito! É ensinar a ir às aulas, é emprestar apontamentos, é "brincar" com seriedade e respeito tanto pelos caloiros como pelos "doutores". 

Por isso tenho orgulho na "minha" FEUP e tenho orgulho em ser de Química. E só posso ficar feliz por perceber que a praxe na minha faculdade não mudou. 
(ainda hoje guardo o meu diploma de caloira, as t-shirts que me identificavam como sendo da FEUP e de Química, as minhas insígnias e a cartola e a bengala) 

E já agora, só para rematar, há gente que fala em fazer da praxe ilegal (precisamente porque mistura no mesmo saco o mau com o bom) dizendo que nos sítios onde há camaradagem ela se vai manter. 
Não concordo! Acho que nos sítios onde ela existe, vai-se perder porque os mais velhos não vão fazer esse esforço de contacto com os mais novos para não serem acusados de estarem a praxar.
Na minha opinião devia-se sim unir as academias do país e chegar a um consenso único sobre as práticas da praxe... punindo quem não as cumprisse. Mas pronto, isto é só uma opinião!

Últimos 10 minutos antes de sair de casa:

* não encontrei a minha carteira habitual (aquela onde tenho TODOS os documentos) nem o porta-moedas pelo que tive de sair de casa com a versão reduzida que me acompanha nas saídas à noite (mas atenção que ela está algures lá em casa);
* não encontrei as calças que queria levar para a aula de teatro logo à noite... acabei por pegar nos corsários o que é pouco para a aula em questão;
* apercebi-me que a roupa que vesti não é a mais prática precisamente porque não vou a casa antes da aula de teatro, logo vou ter de me mudar no vestiário da escola.

Resumindo, não comecei a semana propriamente com as melhores premissas!

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

A sério? A sério?!?!?!?!?

Orientem-se!!!!! 
E percebam que por detrás dos nomes e dos números no papel estão pessoas de carne e osso! Não brinquem com a vida dessas pessoas, sim? 
Agradecida! (mas saindo a praguejar)

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Youzz.net

Querem ser as primeiras a experimentar um produto? Querem ter um contacto privilegiado com as marcas? Então este site é para vocês!

O Youzz.net é uma comunidade online que vos permite estabelecer um diálogo real com as vossas marcas preferidas tendo a vantagem de poderem receber os produtos para experimentar e partilhar a informação com os vossos amigos para além da possibilidade de usufruir de descontos.

Interessadas?

Basta clicarem no banner que se encontra aqui ao lado e preencherem o formulário.
Espero que gostem da sugestão! ;)

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

YES!

Descobri como remover contactos no LinkedIn!!!!

Estou a fazer a dança da felicidade!!!

Será?

Será que algum dia te vou conseguir perdoar?
Sinceramente eu acho que não!

Tudo o que aconteceu pode já estar longe no tempo... mas quando revisito certas palavras e me faço essa pergunta, acredito piamente que não!
Foste demasiado canalha para mereceres qualquer tipo de perdão mesmo que essa atitude da minha parte pudesse significar um acalmar da minha alma.

Talvez se eu conseguisse apagar as palavras que escreveste à outra eu conseguisse colocar os acontecimentos na caixa do esquecimento. Mas, sinceramente, eu quero ter uma recordação da tua falta de carácter... nem que seja para nunca mais cair nas palavras doces de ninguém.

Da minha banda sonora #65


Princesas

Porque as princesas não existem só nos contos de fada. Também há princesas no dia-a-dia.
As princesas são mulheres comuns, todas aquelas com quem nos cruzamos todos os dias!
São mulheres que são acarinhadas por quem gosta delas e a quem elas retribuem o sentimento. São mulheres que sabem que não precisam do príncipe encantado montado no cavalo branco para serem felizes.

As princesas desta vida sou eu, és tu e todas as mulheres que habitam neste grande planeta. Não interessa a cor da pele, religião, estatuto social ou orientação sexual. Não interessa se são gordas ou magras, bonitas ou feias, morenas ou ruivas.

A única coisa que importa é que todas as princesas têm o direito de ser felizes! Sejam quais forem as decisões mais acertadas para cada uma.

Por isso, se virem alguma princesa a ser "mal-tratada"... dêem-lhe a mão e mostrem-lhe que também elas são princesas. Às vezes elas esquecem-se disso e permitem que uns vilões as façam infelizes! Isso simplesmente não é admissível (mas a culpa não é delas..... a culpa é dos vilões desta vida)!

Em modo serviço público de divulgação de cultura #73

Podem obter todas as informações aqui.

Follow my blog with Bloglovin

domingo, 19 de janeiro de 2014

Artes

Nos últimos tempos tenho descoberto uma espécie de veia artística que estava escondida.

Primeiro foi o canto. Depois foi a minha dedicação à escrita. De seguida o descobrir que gosto de poesia. E o retomar o teatro!

E agora, perguntam vocês?
Inspirada pelas aulas de teatro (vamos fazer um trabalho tendo como inspiração a pintura) e uma "corrente" que andou pelo Facebook a semana passada, apercebi-me  que até gosto de alguns pintores.
Um desses pintores é o Klimt!
Aproveitando essa "onda", este fim de semana comprei o meu 1º livro de pintura.... e foi precisamente sobre esse pintor!
Mais uma arte a vir ao de cima! ;)

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

É o fim do mundo em cuecas!

E tudo à conta de... kiwis!

Os meus pais sempre foram pelas frutas "tradicionais" e, por isso, lembro-me perfeitamente da 1ª vez que este fruto entrou em minha casa e o provei. Teria uns 12/ 13 anos e odiei!

A partir daí nunca mais comi.... de vez em quando lá vinha a insistência dos meus pais para dar mais uma oportunidade a este fruto mas nunca o fiz.
Até ontem!
Já há algum tempo que tenho olhado para ele e pensado que os meus gostos têm mudado. Ultimamente tenho provado coisas que não gostava e mudado de opinião. Por isso achei que devia dar uma nova oportunidade aos kiwis.

Ontem fui comprar fruta e cheguei a casa com um saco com 2 kiwis para ver como a coisa corria. Claro que, ao jantar, tratei logo de comer 1. E gostei!

Pronto, é oficial! O fim do mundo está para acontecer!

Agora só falta eu provar melão e meloa no Verão e também descobrir que as minha papilas gustativas mudaram quanto a esses frutos.....

Da minha banda sonora #64


[Verse 1:]
It might seem crazy what I’m about to say
Sunshine she’s here, you can take a break
I’m a hot air balloon that could go to space
With the air, like I don’t care baby by the way

[Hook:]
Because I’m happy
Clap along if you feel like a room without a roof
Because I’m happy
Clap along if you feel like happiness is the truth
Because I’m happy
Clap along if you know what happiness is to you
Because I’m happy
Clap along if you feel like that’s what you wanna do

[Verse 2:]
Here come bad news talking this and that
Yeah, give me all you got, don’t hold back
Yeah, well I should probably warn you I’ll be just fine
Yeah, no offense to you don’t waste your time
Here’s why

[Hook]

[Bridge:]
Happy, come on, bring me down
Happy, come on, bring me down
Love is too happy to bring me down
Come on, bring me down
I said bring me down
Come on, bring me down
Love is too happy to bring me down
Come on, bring me down
I said

[Hook x2]

[Bridge 2:]
Bring me down… can’t nothing…
Bring me down… your love is too high…
Bring me down… can’t nothing…
Bring me down, I said (let me tell you now)

[Hook x2]

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Por vezes....

É frequente que pessoas que me são relativamente próximas mas com quem tenho um relacionamento mais esporádico, ao lerem os textos que vou publicando por aqui, me perguntem se ando apaixonada.
A minha resposta é sempre a mesma....

Sim, estou apaixonada!
Por mim e pela minha vida!
Pelos projectos que estou a abraçar!
Pelos planos que construo, 1º na minha cabeça, depois no papel e, por último, materializo!
Pela minha família e pelos meus amigos!
Pelos jantares de sushi, pelas saídas à noite, pelos cocktails (com e sem álcool) e pelos cafés na esplanada!
Pelos filmes que vejo e pelos livros que leio!
Pelos locais que visito!

E sabem que mais? É muito mais gratificante esta paixão que sinto agora do que qualquer outra que senti até ao momento.
Eu acredito que seja porque nunca tenha estado verdadeiramente apaixonada por mim mesma  e agora que estou (todas as coisas que faço, todas as pessoas que encontro) tudo tenha um sabor diferente.

E sabem que mais? Esta paixão ninguém ma vai tirar... palavra de Sofia!

Olhar

Olhar os olhos dos outros, descobrir cada pequeno detalhe, perceber o que vai dentro da alma de quem está ao nosso lado.

Olhar nos olhos é um dos exercícios mais difíceis de se fazer mas há vezes em que é fácil. Não é possível explicar porquê... se é a circunstância em que isso é feito, se são as pessoas que estão envolvidas no processo.
O certo é que, de repente e de forma completamente inesperada, deixei que me olhassem nos olhos e olhei de forma atenta os olhos da outra pessoa.
E percebi que tens olhos pequenos e verdes, curiosos e cheios de vida.
Gostava de saber o que viste nos meus mas aqueles segundos passaram demasiado rápido e tão depressa estavas à minha frente como deixaste de estar.
Pode ser que este pequeno momento se repita, pode ser que não!
Nada disso importa agora. O que importa é que esse momento aconteceu e marcou a forma como hoje olho para ti.

Da minha banda sonora #63


segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Quem tem amigos tem tudo!

No caso, quem tem amigos de amigos.... :P

Aqui há uns tempos recomendaram-me um produto para usar no cabelo.
Quando mo recomendaram disseram-me que não havia à venda em Portugal (quer dizer, não havia à venda para o cliente comum...). Mas quando o descobri no site da marca e disse o preço (€307) à pessoa que mo estava a recomendar, quase que a ouvi a cair da cadeira no outro lado do chat.

A pessoa em questão tinha comprado o produto por cerca de €60 no Brasil!
Ela verificou o site na loja online onde o comprou e estava ao mesmo preço (mas no caso até era o dobro da quantidade que ela tinha comprado à 2 anos atrás, por isso podemos dizer que o preço está pela metade).

Problema, a loja online não faz entregas fora do Brasil!!!

Resumindo, eu já me estava a ver a comprar o produto pelo quadruplo do preço!

Até que me lembrei que a amiga de um amigo meu ia passar o Ano Novo ao Brasil!

E pronto, pedi à rapariga se me podia fazer o favor de trazer o produto. Pedido ao qual ela acedeu de imediato.

Agora fiquei a saber que ela já fez a encomenda e, no total, vou pagar €70 pelo produto.... valor bem diferente dos tais €307 + portes de envio.

Quem tem amigos tem tudo! :)


Das coisas "não publicáveis"

Acabei de escrever um texto que reflecte tão bem os meus sentimentos neste momento... mas é um texto que, por todos os motivos e mais alguns, nunca vai ver "a luz do dia".
Há coisas assim... que só podem materializar-se nos nossos próprios olhos e nunca podem chegar aos olhos dos outros.

Em modo serviço público de divulgação de cultura #70


Em modo serviço público de divulgação de cultura #69


Em modo serviço público de divulgação de cultura #68




sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Há uma primeira vez para tudo

Ontem, quando saí do ginásio, enganei-me no sitio onde tinha o carro estacionado!
Pronto, é o sinal que a idade começa a tomar conta do meu cérebro....

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Nostalgia

sentimento de tristeza motivado por profunda saudade, especialmente de quem se sente estranho, longe da pátria ou do seu lar.

Segundo o dicionário de língua portuguesa, nostalgia é um sentimento de saudade... digo eu, que para se ter saudade é necessário, antes de tudo, que se tenha experimentado o objecto da nossa saudade, ou neste caso da nossa nostalgia.
Sendo assim, acham possível sentir nostalgia de algo que ainda não se viveu?
Algo que não sabemos se vamos viver nem se vai ser bom ou mau para nós?

Há a esperança que esses acontecimentos (que ainda se encontram na base da hipótese) sejam benéficos e tragam "bons feelings". Mas será que isso irá mesmo acontecer? Será que o que vai acontecer vai criar o sentimento de nostalgia que o está a preceder?

Em modo serviço público de divulgação de cultura #67


Mais uma actividade direccionada para os mais novos!

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Em modo serviço público de divulgação de cultura #66


Actividades para as crianças no Edifício Axa a decorrer no próximo fim-de-semana.
Desfrutem!!! :)

Coisas fúteis

Ontem ao pentear-me em frente ao espelho (depois de sair do banho) reparei que o meu cabelo já quase que chega ao meio das costas (quem me vê todos os dias não percebe isso porque ele encaracola). A última vez que tive o cabelo tão comprido foi em 2007 e já não me lembrava dessa sensação.
Até onde é que quero que ele cresça? Pois não sei! Até onde a vontade me levar. ;)

domingo, 5 de janeiro de 2014

O significado da vida

Porque  a vida é um donut. :)



Arrependimentos.....

Ao ler este texto a propósito de arrependimentos achei que podia explorar um pouco mais sobre o assunto.
Mas, ao mesmo tempo, o texto que alguém escreveu já fala sobre os pontos que, hoje em dia, me fazem seguir em frente. Mesmo não tendo passado pela experiência de aproximação da morte. Ou então... então talvez tenha havido um período da minha vida em que "morri". Não no sentido literal (ou então como estaria aqui a escrever este texto?) mas num sentido figurativo.

Há muita gente que passa pela vida sem a viver, há quem viva e já esteja morto só que ainda não sabe, e há quem pura e simplesmente desista de si e de viver. São escolhas, são diferentes formas de viver. Todas válidas e nenhuma delas passível de julgamento(...)

É precisamente isto.... eu estava a passar pela vida sem a viver e, felizmente, apercebi-me disso antes de o corpo me pregar uma partida. Ou melhor, o corpo até me andava a mandar sinais. Tive a sorte de se tratarem de falsos alarmes.

Mas passando toda a situação à frente... o mais importante é que houve algo que me puxou para a "superfície" e me fez respirar outra vez.

1.
Houve algo na minha vida que me fez perceber que eu quero viver a MINHA vida e não a vida que os outros esperam de mim.
Claro que a opinião dos outros (dos mais próximos) é importante e até pode magoar se não foi coincidente com a nossa. Mas tudo se ultrapassa.

2.
Ainda não tinha chegado ao ponto do "gostava de não ter trabalhado tanto" mas isso também foi um ponto a limar. Neste momento trabalho o necessário.... o resto do dia é meu e, sinceramente, não é a trabalhar que me vou satisfazer pessoalmente.

3.
A parte de expressar os sentimentos ainda está a ser trabalhada. O mais importante neste momento é eu ter percebido que ficar com sentimentos cá dentro não adianta de absolutamente nada! Muito pelo contrário! Pode corroer e até matar por dentro! E se estivermos mortos "por dentro" como podemos estar vivos "por fora"?

4.
Os amigos, aqueles mesmo mesmo amigos, aqueles que foram e vieram (ou que simplesmente chegaram) e são importantes na minha vida.... esses estão permanentemente presentes no meu coração e na minha agenda de contactos favoritos e mais contactados.

5.
Last but not least... sim, aprendi que eu e apenas eu sou responsável pela minha felicidade... e decidi que vou ser feliz! Não importa se estou "solteira" ou "casada", não importa se as minhas decisões são constantemente escrutinadas e julgadas pelos outros,... nada disso importa!

Pura e simplesmente porque eu vou fazer o que quero, quando quero, como quero e com quem quero e, no final, vou ser FELIZ! Sem qualquer tipo de arrependimentos. :)

Olhas-me mas não me vês

Todos os dias olhas para mim mas nunca me vês. É como se eu fosse transparente, como se pudesses ver através de mim.
Ainda um dia gostava de saber o que tanto vês através da lente que é o meu corpo para os teus olhos.

Quantas vezes, julguei eu, me olhavas nos olhos quando falavas comigo... para, anos depois de o fazeres com tanta frequência, finalmente reparares que os meus olhos são verdes.
Será possível que só agora me tenhas visto? Será possível que apenas me tenhas visto efectivamente nesse momento? E nunca antes e jamais depois?

Só tenho um último pedido antes de te ires embora: que olhes para mim e me vejas, que vejas como eu sou e depois me digas o que sentes, ali, naquele preciso momento.
Depois disso podes ir embora sem qualquer arrependimento. Porque eu não terei nenhum!

sábado, 4 de janeiro de 2014

Dúvida existencial de ontem que se estendeu para o dia de hoje

Como raio é que se fica constipada depois de um dia de ronha, enrolada numa manta a ver filmes?
É que,ontem, nem coloquei a ponta do nariz fora de casa e mesmo assim estou aqui com uma constipação daquelas que colam e não largam!