terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Em modo serviço público de divulgação de cultura #65

Para começar bem o ano recomendo a 1ª sessão de Quintas de Leitura de 2014.


A bilheteira abre no dia 7 de Janeiro às 14h30.
Se estiverem interessados, apressem-se a comprar... o Quintas de Dezembro foi no Auditório do TCA e tenho conhecimento que os bilhetes esgotaram em menos de 30 minutos. Este não percebi se será no Café-Teatro ou no Auditório.

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Atingi o meu limite!

Não me considero uma pessoa preconceituosa. Acho que quem me conhece pode confirmar isso.
Aliás, tenho alguns bons amigos homossexuais (homens e mulheres) e não tenho problema absolutamente nenhum de os ver em demonstrações de carinho, tal como vejo os meus amigos hetero.

Mas, ver o Michael Douglas e o Matt Damon aos beijos (e senhores, mas que BEIJOS) e em cenas de sexo (não explicito, ao menos valha-nos isso!) acho que foi assim a linha invisível que decidi traçar.

O filme? Behind the candelabra.
Tenho a dizer que vi 30 minutos e achei que foi suficiente!

2013


Para mim, 2013 é, sem qualquer dúvida, o ano de Paris! :)

domingo, 29 de dezembro de 2013

O mundo é um nico!

Ontem à noite, seguia eu embrulhada nos meus pensamentos quando ouvi alguém a dizer "lá vem ela! lá vem ela!".
Levantei a cabeça e saí do meu mundo interior para me deparar com um colega (acreditem que teria passado por ele sem o ver). Demos 2 de treta e eu segui a minha vidinha.
Fui ter com uma colega minha para um café que estava planeado há muito tempo... e que ontem se concretizou.
Entrei no café, sentei-me e esperei por ela.
Entretanto ela chegou e começamos a conversar.... quando, de repente, apercebo-me que está uma pessoa parada à minha frente e a olhar para mim de forma muito atenta.
Levanto o olhar e vejo o amigo de um amigo. Diz ele "por aqui? nós estamos a jantar ali no canto".
Pois! Estavam "os suspeitos do costume" a jantar no mesmo espaço que a minha colega escolheu para irmos tomar café... e eu também não os teria visto!

Raio do mundo que às vezes parece uma ervilha.... e eu ontem não via ninguém à frente!

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

João (I)

O João é um homem como outro qualquer. Todos os dias se levanta à mesma hora, trata de si e sai de casa para um trabalho das 9h às 18h que o prende a uma realidade que não reconhece como sua. Todos os dias regressa a casa sem achar que fez algo de interessante ou que tenha contribuído para a sociedade, seja para si ou para os outros. Todos os dias regressa a casa, come a primeira coisa que lhe aparece à frente e entra em modo de descanso para no dia seguinte regressar à sua vida de sempre. Aborrecida, desinteressante, estagnada.

O João não consegue dizer se é feliz ou infeliz, apenas sabe que os dias passam e ele continua vivo... os seus pulmões recebem oxigénio que se transformam em dióxido de carbono (por um processo que ele nunca percebeu muito bem como acontece) e isso faz com que ele se mantenha vivo.

Até que um dia, um dia como qualquer outro, ao sair de casa para o seu trabalho monótono, ele repara numa bela borboleta que passa à frente dos seus olhos.
Não é uma borboleta qualquer... tem as cores mais belas e mais vivas que ele alguma vez viu. Possui, nas suas asas grandes, os tons de azul mais bonitos e brilhantes!
O seu olhar distrai-se ao ver aquela borboleta e não consegue deixar de comparar a sua vida (cinzenta e sem cor) com aquela pequena mas esplendorosa borboleta que voa à frente dos seus olhos.

Segue o seu rumo habitual, o seu corpo desempenha a sua rotina de sempre.... mas a mente não consegue desligar daquela borboleta que abriu o seu olhar para o que o envolve.
No final do dia regressa a casa. Compara-se àquela borboleta leve, livre e linda e não encontra nenhum ponto em comum. Ele sente-se aprisionado na sua vida rotineira. Uma vida que ele não escolheu para si... mas a vida que a sociedade lhe impôs.
E é nesse instante que o João toma a decisão da sua vida. O João decide que quer ser como a borboleta que viu horas antes, decide largar tudo e viver os seus sonhos. Decide SER FELIZ!

E é aqui que o João se depara com o seu 1º obstáculo.
Afinal quais são os seus sonhos?  O que é que o irá fazer feliz?

Natal

Acabo de receber uma mensagem de Feliz Natal com o desejo de muitas prendas...

E aí apercebo-me que o que quero não são muitas prendas (nem vou tê-las) mas o amor e carinho de quem está à minha volta.
Vivi 1 Natal angustiada porque não estive perto dos meus Pais (hoje duvido que o pretenso carinho que as pessoas com quem passei esse Natal efectivamente existisse), nunca mais vou deixar que isso aconteça!

Como dizia a J. à pouco....

Hoje estou louquinha!

Eu digo que é por ser o último dia de trabalho do ano... Ou então por andar mesmo entusiasmada com a formação de teatro... Ou então, olhem, não sei muito bem porquê!

O certo é que acabei de me inscrever para uma maratona de 24 horas de teatro... e estou a torcer para que me chamem para fazer o casting.


quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

2013

De repente estou a pensar neste ano que passou...
O balanço é muito positivo! Eu sei que ainda faltam uns dias para o final do ano mas seria preciso acontecer uma catástrofe muito grande nos próximos dias para eu deixar de ter este sentimento.

Foi o ano em que me cultivei de uma forma muito intensa e a muitos níveis. Foi o ano em que fui a Paris (local onde tenho a certeza que quero voltar várias vezes na vida). Foi o ano em que me libertei de demónios. Claro que tive altos e baixos, mas os baixos foram sendo cada vez menos e com menor intensidade por isso o balanço é mesmo positivo.
Foi o ano em que conheci pessoas e fiz amigos que vão ter um lugar no meu coração, o resto da minha vida.

E foi o ano em que tive dois "gajos" a proporem-me "gravidez". Das duas uma, ou acham-se os garanhões do pedaço ou eu devo transmitir uma aura maternal que nunca mais acaba.
(só para esclarecer, ambas as propostas foram de brincadeira... um deles é um grande amigo, o outro não sabe estar calado. mas confesso que agora achei piada à coincidência)

Ontem...

Ontem foi o dia em que foi feita a avaliação informal das aulas de teatro.
Como eu disse anteriormente, apenas frequento as aulas de teatro 1x por semana mas ontem, excepcionalmente, fui ao Porto para assistir à 2ª aula da semana. Não a fiz porque efectivamente só pago mensalidade para 1x mas como era a aula em que iriam fazer a avaliação do módulo que ontem terminava disponibilizei-me a ir.
E ainda bem que o fiz!

Soube tão bem ouvir elogios tanto da formadora como dos colegas. Perceber que o trabalho que ando a fazer agrada a quem me rodeia (a mim agrada-me bastante mas isso já eu sabia).
Basicamente foi-me dito que não é por eu ter feito teatro e ter parado que agora tenho mais facilidade neste "retomar". Ficou nas entrelinhas que tenho algo cá dentro que tem potencial.
Mais uma vez elogiaram a minha voz (ai Celeste, isto é tua obra!).

E pronto, fica aqui o gostinho na boca a falhar porque vamos entrar em "férias de Natal" e só temos aula no próximo dia 6! Já tenho saudades dos colegas, da formadora e da aula em si! Por mim não ia de férias... mas pronto, a escola tem de respeitar o calendário escolar.

Para o próximo ano ficam prometidas mais aulas, mais evolução, mais convívio, etc.

Já disse que estou a ADORAR esta experiência? Pois... acho que nunca é demais repetir! ;)

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Coisas estúpidas, daquelas mesmo estúpidas!

Passo o dia cansada (hoje até nem tive muito sono... mas também tenho de contabilizar os 3 cafés que bebi).
Saio do trabalho sem vontade de me mexer mas mesmo assim arrasto-me até ao ginásio.
Faço 2 aulas, transpiro que nem uma "porca estendida a apanhar sol de Verão", saio de lá revigorada.
Vou para casa tomar banho, jantar, tratar das traquitanas para o dia seguinte....
E chego a esta bela hora da noite fresca que nem uma alface e soninho para descansar nem vê-lo!

Sendo que amanhã tenho de acordar 30 minutos mais cedo para garantir que não me atraso e inicio o atendimento ao público às 9h00 em ponto. Atendimento que irá acontecer das 9h00 às 18h00 com apenas 1h de intervalo para almoço...
Tenho a dizer que não auguro nada de bom!

Ah! E no fim do dia, excepcionalmente e porque me comprometi a fazê-lo, ainda terei de ir ao Porto. (mas  também quem é que me manda ter uma boca grande??)

E ainda continuando no meu percurso "artístico"

Ontem foi dia de fazer uma breve apresentação (5 minutos) na aula de teatro.
Confesso que pensei muito no assunto, esquematizei o que queria fazer, acertei com uma música de fundo... mas praticamente não ensaiei . Aliás, só fiz +/- a coisa 1 vez para perceber se os momentos de passagem batiam certo com a dinâmica da música.

Ontem cheguei à aula e, na altura de fazer a apresentação, não estava propriamente nervosa.... era mais apreensiva sobre se a coisa ia resultar.
Enquanto estava a fazer a minha performance, ia olhando para os meus colegas e para a formadora. E fui "admirando" as suas caras de espanto! E fui pensando "ok, isto deve estar a correr bem!".
No final todas as críticas foram muito positivas. Referiram como fugi da minha zona de conforto (yep, era essa a intenção), como fui expressiva (oh yeah!), como projectei a voz (obrigada Celeste!) e utilizei a música para criar momentos de "crescendo". E ainda comentaram como gostaram do texto escolhido (o poema As Borboletas de Vinicius de Moraes).

Como deverá ser fácil perceber, fiquei extremamente contente com a "avaliação" dos colegas e da formadora. E fiquei contente também comigo mesma. Saí de lá com uma sensação de dever cumprido!

Que venha o próximo módulo da formação! ;)

domingo, 15 de dezembro de 2013

De mim!

Quando, no ano passado, iniciei a minha "aventura" no mundo artístico nunca me passou pela cabeça o rumo que isto iria levar.

A formação de canto "começou" porque eu queria fazer algo para mim e a cabeça ainda não estava "em cima dos ombros" por isso escolhi a 1ª coisa que me apareceu e que achei que me iria satisfazer. Sim, a música já fazia parte da minha vida mas cantar para os outros nunca foi algo que me passasse pela cabeça fazer!
Fiz a iniciação, passei para o aperfeiçoamento.... e correu tão bem em termos vocais que fiquei de boca aberta comigo mesma!
O problema no meio disto é que o à vontade em palco era nulo!!! Fiquei super tensa, fechei ângulos, não fui expressiva, etc.

Então decidi que queria seguir o caminho artístico integrando uma formação em teatro.
Procurei, procurei.... Fui extremamente picuinhas na minha escolha! Não queria fazer algo só porque sim, queria fazer algo completo e com bases muito consolidadas!
Finalmente escolhi! E estou a frequentar desde Outubro um curso livre de teatro.

As sessões não foram muitas... Até porque eu escolhi a opção de 1x/semana quando eles disponibilizam 2x/semana (mas eu não tenho disponibilidade de horário para isso, até porque estou à espera da continuação do canto).
Mas ontem notei uma diferença no meu quotidiano (que relaciono com as aulas).

Em Outubro (tinha ido a apenas 1 aula), fui com os colegas do canto ao karaoke!
Continuava a sentir-me "perra" em palco. Os nervos faziam com que as pernas tremessem (mesmo que não fosse perceptível a quem estava do lado de fora).
Ontem fui pela 2ª vez ao karaoke com os mesmos colegas e nem consigo explicar a grande diferença por aqui!
Não vou dizer que não estava nervosa... Mas estava solta! Cantei à vontade, dancei, ri-me, ... tudo isto em cima do palco e com um bar cheio de gente desconhecida (à pinha mesmo que aquilo ontem era a loucura).

É impressionante a diferença que uns quantos exercícios de libertação/ consciencialização do corpo, postura, etc. fazem em pouco tempo!

E como é que me sinto com tudo isto? Bem, muito bem! :D

Da minha banda sonora #62


quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Logo pela manhã!

Hoje, logo pela manhã, recebi uma mensagem de alguém a dizer o quanto gosta de mim.... e só isso já me fez sorrir o dia inteiro!

Eu também GOSTO DE TI!

(às vezes parece que damos quem está ao nosso lado por garantido e não dizemos estas coisas em número suficiente)

Em modo serviço público de divulgação de cultura #62


quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Decisão!*

Aqui há uns tempos li algures qualquer coisa como isto:
A minha avó dizia que, num casal, há sempre um que ama mais que o outro.

Não liguei muito a esta afirmação na hora.... mas o certo é que me ficou na cabeça. E foi martelando, martelando... não sei exactamente quanto tempo porque efectivamente já não sei há quanto tempo a li, mas o certo é que ficou aqui!

E, há conta desta afirmação, tomei a decisão de que eu não irei mais amar mais do que serei amada. Não quero! Recuso-me terminantemente!
Amar mais do que sou amada, definitivamente, não é para mim!
O ideal será sempre amar na mesma proporção mas há falta de melhor, prefiro "amar menos". É que na minha lealdade para com a outra pessoa eu confio.... na lealdade da outra pessoa, deixei de confiar!

* como se fosse possível tomar decisões deste tipo... assim, só porque eu quero!
Você é mais forte do que pensa e será mais feliz do que imagina.

Tati Bernardi

Yep. It checks! ;)

E se de repente?

E se de repente eu decidir que não quero mais a vida que tenho? Se eu decidir que quero outra vida. Quero fazer coisas que me satisfaçam de uma forma permanente e não ter um emprego só por ter um emprego?
E se de repente eu decidir que quero cantar e representar e quero largar tudo para correr atrás de um sonho?

Hoje não é esse dia... mas pode ser que esse dia chegue!

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

E depois digo que não sou criativa....

Ontem pediram-me uma apresentação de 5 minutos para a aula de teatro da próxima segunda-feira. E desde essa altura que o meu cérebro não pára e já tive várias ideias! Ainda não experimentei nenhuma pelo que não sei qual resultará mas pelo menos sei que o processo criativo anda por estas bandas.....

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Ainda do texto de há pouco.... claro que é uma desilusão perceber que, quem tu até achas alguma piada e com quem te metes só para ver qual a reacção, não reage em consonância com aquilo que tu esperarias.
Mas lá está, é preciso fazer a ginástica mental de "não queres, há-de haver quem queira" e seguir em frente como habitual.
De que serve forçar situações que não existem de forma mútua? Quando há, nitidamente, uma das partes que não quer, porquê insistir? Só gera desconfortos e constrangimentos.
Não quer? Paciência! Segue em frente porque há-de haver quem queira. Pode não ser hoje, nem amanhã, nem depois.... mas algures no tempo vai haver quem queira e o importante é saber ser paciente!

Este é o meu lema neste momento.... é a minha forma de vida! E desde que percebi isso, desde que percebi que não é por sentir algo por alguém que isso é mútuo e correspondido, sou tão mais feliz! Se tenho vontade com estar com alguém... faço sugestões. Se aceitam, óptimo! Se não aceitam, óptimo na mesma e não ando constantemente a "chover no molhado". Há que perceber os meus limites e os limites de quem me rodeia.

Eu sei que às vezes sou "mau feitio" (sim, L. estou a admitir que sou mau feitio) e posso até ser interpretada de forma errada porque as coisas me saem de forma mais brusca. Mas acreditem que isso só acontece quando já me andaram a encher o saco e eu estou a rebentar pelas costuras!

Tudo isto para dizer.... não cansem quem vos rodeia quando os sentimentos dos outros não correspondem às vossas expectativas.
A vida pode ser tão leve e despreocupada se levarem as coisas assim... acreditem, eu sei do que estou a falar!

Há sensações fantásticas!

Hoje (dia 15.10.2013) estou a escrever este texto que apenas será publicado daqui a algum tempo (ainda não sei muito bem quanto).

Tudo começou há muitos anos atrás. Sinceramente não sei exactamente há quantos mas sendo que ainda estava na faculdade foi, pelo menos, há 10 anos.
Enquanto estava na faculdade tornei-me doadora de sangue e daí a considerar tornar-me dadora de medula óssea foi um "saltinho".
De todos estes anos, nunca fui chamada para fazer testes adicionais.
Até hoje! Hoje ligaram-me, perguntaram se ainda estou disponível para efectuar uma dádiva de medula óssea e fizeram uma série de perguntas de rotina. Pediram-me para fazer uma recolha de sangue de forma a fazer testes adicionais e confirmar se a pessoa que necessita é mesmo compatível comigo.

O que sinto? É uma mistura de sentimentos antagónicos. Se por um lado sinto-me bem porque há a possibilidade de ajudar alguém, por outro não posso deixar de ficar triste por saber que há alguém geneticamente parecido comigo que está doente!
Espero poder ajudar essa pessoa.
_________________________________________________________

(17.10.2013)
Lá fui ao Centro de Histocompatibilidade do Norte fazer testes adicionais para saber se sou realmente compatível com a pessoa que necessita de ajuda.
Fiquei a saber que a percentagem de isso acontecer é muito baixa (3%). Esta 1ª triagem é feita com várias pessoas no mundo.
O médico explicou-me como se processam todos os procedimentos... e também me explicou que, mesmo que eu seja compatível, poderei nunca fazer a doação por o doente não se encontrar em condições para receber o transplante ou por este se restabelecer ou por falecer.
Contou-me que teve uma situação em que o período de tempo entre o 1º contacto com o doador e a concretização do transplante demorou 4 anos!

Pouco depois de iniciamos a conversa disse-me "Sofia, se se comprovar que é compatível com o doente eu ligo-lhe a dizer que você ganhou o euromilhões!"
Apenas lhe respondi "Dr., nesse caso quem terá ganho o euromilhões é o doente, não eu! Eu só estarei a cumprir com o meu dever cívico"
Ao que ele ripostou "Não Sofia, você é que terá ganho o euromilhões.... porque você poderá salvar uma vida praticamente sem esforço!"
Aí eu só pude sorrir. Acho que ainda não tinha bem tomado consciência desse ponto. Eu posso efectivamente salvar alguém um dia!!!

Algumas horas antes a minha mãe (quando soube o que eu ia fazer nesse dia) disse que eu era a pessoa mais corajosa da família... precisamente por ser dadora de sangue regular e por estar inscrita no banco de dadores de medula.
Na hora, desvalorizei... mas depois da conversa com o médico percebi o quanto é de louvar a minha atitude precisamente porque apenas uma pequena percentagem de pessoas toma este tipo de iniciativa.
Hoje em dia, devido a casos mediáticos, há mais pessoas a tornarem-se dadoras... mas ainda é muito pouco!
______________________________________

E hoje (05.12.2013) acabei de saber que tenho uma carta do centro de histocompantibilidade em casa à minha espera. Isso apenas pode significar que não se comprova a minha compatibilidade com a pessoa que necessita da dádiva.
Parece que não ganhei o euromilhões.... mas espero que a pessoa tenha ganho!

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Impressionante!

Ontem ao final do dia vi um cartaz a anunciar a passagem de ano num determinado local. Nesse cartaz tinha a programação da noite, falava de jantar e definia horas para os diferentes momentos da noite.
Como passei de carro no referido cartaz e queria obter mais informações sobre o assunto (e o cartaz falava mesmo do site do espaço em questão), quando cheguei a casa abri o site e a página do Facebook do espaço.
Acreditam que não tem nem uma pequena menção ao evento????

Como é possível terem colocado aquele cartaz na rua sem colocarem a informação online? É que ainda por cima referem que para obter mais informações as pessoas podem consultar o site.

A sério que não consigo perceber como é que estas coisas acontecem. Raio da falta de organização!

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Já há uns tempos recomendei esta página. Mas hoje o tema é-me muito próximo e não consigo ficar indiferente... Se vos interessar, recomendo vivamente.

domingo, 1 de dezembro de 2013

Em modo serviço público de divulgação de cultura #61

Hoje não venho divulgar um evento ou uma iniciativa mas sim um novo projecto musical.
Este novo projecto tem como nome Rubim e podem consultar mais informações aqui e aqui.

O lançamento do CD ocorreu ontem à noite e estará disponível nas lojas habituais a partir de amanhã.

Musicalmente todas as músicas são soberbas, sendo que a cereja no topo do bolo é a voz fantástica da Ana Celeste Ferreira (eu sou suspeita porque ela é minha mestre e amiga... mas ouçam e depois digam-me o que acharam).
Ainda assim, a minha música favorita é o single promocional (cujo vídeo poderão ver mais abaixo) porque combina tudo isso com uma letra que me toca muito!


Espero que gostem... e que comprem o CD! :)