Avançar para o conteúdo principal

Em modo serviço público de divulgação de cultura #52

O VOSSO PIOR PESADELO

 Estreia dia 26 de Outubro | CASA DAS ARTES – Porto (ao Campo Alegre) Em cena até dia 3 de Novembro - De Segunda a Sábado às 21h30 e Domingos às 16h00

 Sobre | Espectáculo

Dentro de uma jaula está um homem ajoelhado e com as mãos presas atrás das costas, cabeça baixa. Num canto da jaula, há um balde destinado às necessidades fisiológicas do prisioneiro.
A acção decorre numa prisão de alta segurança e acompanha o dia-a-dia de violência a que é sujeito um prisioneiro especial acusado de terrorismo, um comediante que não chora nem se lamenta das brutais agressões de que é vitima, corporizadas pelo soldado e oficial que ficam atónitos com a sua atitude. O espectáculo é representado como uma comédia negra, aproximando-o de uma farsa trágica (!), oscilando entre a gargalhada franca e o sorriso amarelo, o riso libertador e a reflexão, parodiando obscenamente agressões físicas e mentais perpetradas sobre o prisioneiro, procurando chegar ao público de forma a que este participe, física e mentalmente, num exercício “quase” sadomasoquista...
A peça pretende questionar a impunidade que atravessa a nossa sociedade e as muitas formas de violência que se abatem sobre os cidadãos que vivem em democracias mais ou menos duras ou em ditaduras mais ou menos democráticas...
Uma encenação “Guantánamo-teatral” onde qualquer parecença com a realidade é pura coincidência…

Texto Original
 Manuel Jorge Marmelo

 Direcção e Encenação
 José Leitão

Interpretação
Flávio Hamilton, Miguel Rosas e Pedro Carvalho

Espaço Cénico e Cenografia
José Leitão e Actores em Cena

 Direcção Plástica e Figurinos
Fátima Maio

Música Original
Bilan

Desenho de Luz
Leuman Ordep

Execução Cenográfica e Adereços
 José Lopes

Estruturas Metálicas
Américo Castanheira

Operação Técnica
Sandra Sousa

Fotografia de Cena
Nuno Ribeiro

Edição de Vídeo
Leonel Ranção

Designer Gráfico
Mónica Lemos

Web Designer
Inácio Barroso

Produção
Sofia Leal e Daniela Pêgo

Assistentes de Produção
Ana Cortez e Fábio Paiva

Sobre | Autor

Manuel Jorge Marmelo (1971) é um escritor e jornalista português de quem o Teatro Art’Imagem já levou à cena em 1999 uma versão cénica do seu romance “Português, Guapo y Matador”.
Estreou-se como jornalista em 1989 no jornal diário Público, onde esteve desde a fundação do periódico, tendo saído muito recentemente. Recebeu em 1994 o prémio de jornalismo da Lufthansa e em 1996 a menção honrosa dos prémios Gazeta do Clube de Jornalismo/Press Club.

Em 1966 inicia a sua carreira de escritor com o “Homem que Julgou Morrer/O Casal Virtual”. No ano seguinte, lança o romance “Português, Guapo y Matador”.
Entretanto, ganha o prestigiado Grande Prémio do Conto Camilo Castelo Branco em 2004 com a obra “O Silêncio de um Homem Só”.

As suas mais recentes obras publicadas são, em 2011 "Uma Mentira Mil Vezes Repetida", 2012“Somos todos um bocado Ciganos”. Já em 2013 publica "Crónicas do Autocarro" e "Zero à Esquerda". A peça “O Vosso pior Pesadelo” ainda não publicada, foi propositadamente escrita, para levar à cena pelo Teatro Art’Imagem e é a sua terceira incursão teatral, depois de "O Casal Virtual" e a já referida versão cénica de "Português, Guapo y Matador".
Desde Julho de 2001, o seu nome consta do “Dicionário de Personalidades Portuenses do Século XX”, da Porto Editora, sendo o mais jovem dos nomes biografados.

BILHETEIRA | Casa das Artes em dias de espectáculo 20h00 – 21h30 Dom 14h30 – 16h00 | 5,00€ Geral | 3,00€ (c/desconto para M/65, estudantes, desempregados e profissionais das artes cénicas)

Casa das Artes
Rua Ruben A, 210 | 4150-639 Porto | (ao Campo Alegre)
GPS | N 41º09’23’’ W 08º38’37’’

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Hoje escrevo-vos com o coração

[e publico para o mundo inteiro ver... porque há coisas que o mundo não precisa de saber mas há outras que preciso tirar de dentro do peito]

Há 4 anos atrás descobri que vinha sendo enganada pela pessoa que amava. Durante uns dias hesitei mas acabei por tomar a decisão mais dificil que alguma vez tomei: decidi que não queria mais aquela pessoa na minha vida. 
Psicologicamente estava de rastos... só eu sei o que passei, nesse último ano, nas mãos da pessoa que me tinha feito promessas vãs.

Das últimas conversas que tivemos ele disse-me que iria apagar o seu perfil de Facebook. Para eu não achar estranho... que essa decisão nada tinha a ver comigo, que era ele que precisava de o fazer apenas por si próprio.
[sim, eu lembro-me dessa conversa como se tivesse acontecido há 2 minutos atrás.... o raio da memória nesse tempo ainda era grande, enorme. 
hoje em dia é uma titica e quase não me lembro do que fiz hoje de manhã]

Tudo muito certo até eu descobrir, meses mais tarde, que quando ele me disse…

Acho que preciso esclarecer

A quem não convive comigo diariamente... Não me interpretem mal!

Eu segui e sigo em frente todos os dias. A pessoa a quem me refiro no post anterior é passado e não possuo qualquer sentimento por ele... nem sequer ódio.
As recordações do tempo que passamos juntos são-me completamente inócuas. Foram vivências e apenas isso.

A irritação que vos transmiti... eu diria que acontece de ano a ano e, lá está, apenas porque sinto que há ali um poder sobre mim. E se há coisa que eu não gosto é que tenham poder sobre a minha pessoa.

[eu sei que pareço calminha e, por vezes, até submissa.... mas é algo que não sou mesmo!]

Ia chamar este post de "homossexualidade" mas o que vou escrever é mais abrangente que isso

Acabei de ver o excerto do vídeo em que 2 jogadores do Sevilha, ao celebrarem a sua vitória contra o Benfica, se beijam.

Não sei se são heterossexuais, homossexuais ou bi e sinceramente não me interessa particularmente qual a sexualidade de duas pessoas sobre as quais nunca tinha ouvido falar a não ser há umas horas atrás.
Mas já que vou opinar, não me pareceu que aquele beijo que tenha sido algo "novo" entre eles... foi um beijo de quem se beija dessa forma, ou seja, não houve aquele momento surpresa. Sendo que isso não quer dizer absolutamente nada quanto à sexualidade de ambos.

E agora voltando ao que me levou a pensar escrever este texto.
Lembro-me de, não há muito tempo, ter visto uma notícia que divulgava o primeiro jogador de futebol a assumir-se como homossexual. Penso que ele era alemão... ou então jogava num clube alemão, já não sei muito bem. Lembro-me que nessa altura pensei que ele não poderia ser o único homossexual nesse meio. O problema é que o futebol é um d…