segunda-feira, 29 de julho de 2013

Tu e eu, eu e tu!


São 7 da tarde e tu faltas-me. Estou à tua espera no sitio do costume, com os pés enterrados na areia e o olhar preso no mar.
O vento frio começa a levantar-se... bate no meu corpo e arrepia-me. Fazes-me falta!
Se estivesses aqui já me terias envolvido no teu abraço terno e morno. Mas não estás. Insistes que este não é o teu lugar... quando eu sei que o meu corpo é o encaixe perfeito para o teu abraço.
Imagino a tua mão a afagar-me o rosto, os teus olhos penetrantes nos meus... sei exactamente o que te passaria na cabeça neste momento imaginado. Quererias beijar-me mas nunca o farias. Encontras-te preso às convenções sociais. Prendes-te num mundo preto e branco.... mundo que sabes não ser assim.

Mundo que entendes e aceitas que tem vários tons de cinzas.... mas não admites que seja assim para ti!

"Os outros podem fazê-lo! Mas eu? Eu não...." dizes tu com toda a convicção.
Mas porque não? Porque não te permites um pouco de cinza se isso te irá fazer feliz?

Vem ter comigo ao sitio do costume... senta-te ao meu lado, enterra os teus pés na areia junto aos meus, prende os teus olhos no horizonte, sente o vento gelado a arrepiar-te, abraça-me.... e depois diz-me se assim não és mais feliz!

Sem comentários:

Enviar um comentário