quarta-feira, 31 de julho de 2013

Em modo serviço público de divulgação de cultura #35

Cinema fora do sitio
Programa:
3 ago I O Grande Gatsby I Praça das Cardosas
4 ago I Argo I Monte Aventino
10 ago I Os Estagiários I Jardim do Passeio Alegre
11 ago I A Noite dos Mortos Vivos I Gruta (Jardim Palácio de Cristal)
17 ago I Django LIbertado I Rua Cândido dos Reis
18 ago I Hitchcock I Av. Vimara Peres (junto à Ponte D. Luis)
24 ago I Die Hard - Nunca é bom dia para morrer I Praça Metro da Trindade I
25 ago I A Ressaca - Parte III I Rua Cândido dos Reis I Praça D. João I
31 ago I Lincoln I Praça Carlos Alberto
01 set I Batalha do Pacífico I Praça da Ribeira

segunda-feira, 29 de julho de 2013

:)

Ontem fui brindada com um sorriso parecido com este... e o comentário de quem me acompanhava foi "It's meant to be!"

Sim, eu acredito mesmo que sim! :)

Tu e eu, eu e tu!


São 7 da tarde e tu faltas-me. Estou à tua espera no sitio do costume, com os pés enterrados na areia e o olhar preso no mar.
O vento frio começa a levantar-se... bate no meu corpo e arrepia-me. Fazes-me falta!
Se estivesses aqui já me terias envolvido no teu abraço terno e morno. Mas não estás. Insistes que este não é o teu lugar... quando eu sei que o meu corpo é o encaixe perfeito para o teu abraço.
Imagino a tua mão a afagar-me o rosto, os teus olhos penetrantes nos meus... sei exactamente o que te passaria na cabeça neste momento imaginado. Quererias beijar-me mas nunca o farias. Encontras-te preso às convenções sociais. Prendes-te num mundo preto e branco.... mundo que sabes não ser assim.

Mundo que entendes e aceitas que tem vários tons de cinzas.... mas não admites que seja assim para ti!

"Os outros podem fazê-lo! Mas eu? Eu não...." dizes tu com toda a convicção.
Mas porque não? Porque não te permites um pouco de cinza se isso te irá fazer feliz?

Vem ter comigo ao sitio do costume... senta-te ao meu lado, enterra os teus pés na areia junto aos meus, prende os teus olhos no horizonte, sente o vento gelado a arrepiar-te, abraça-me.... e depois diz-me se assim não és mais feliz!

Há coisas que não consigo compreender!

(Atenção que com esta constatação não quero de todo menosprezar as minhas amigas lindas que têm "sorte ao amor")

Às vezes olho para os lados e não consigo compreender como é que certas pessoas (broncas, feinhas, etc.) conseguem ter relações amorosas estáveis e outras (cultas, bonitinhas, etc.) parece que só atraem problemas!
Também não estou a dizer que as "primeiras pessoas" não são merecedoras de boas relações... não acho é justo que as más relações calhem sempre aos mesmos!

 Mas pronto.... esta é a minha opinião, que para mim vale muito e para os outros não vale nada!

Em modo serviço público de divulgação de cultura #34


Porta Jazz ao relento

Em modo serviço público de divulgação de cultura #33

Festival Varandas 2013


sábado, 27 de julho de 2013

Da minha banda sonora #45


So wake me up when it's all over
When I'm wiser and I'm older
All this time I was finding myself
And I didn't know I was lost

terça-feira, 23 de julho de 2013

Beautiful!

Ter alguém que nos relembre que somos bonitos... mesmo nas alturas mais improváveis! Aliás, principalmente nas alturas mais improváveis.... quando eu estou a falar de outra coisa qualquer e de repente se saem com um "pois, naquele dia estavas muito gira!".

Oh pá! A sério? Andam mesmo empenhados em me deixar completamente sem jeito.... mas obrigada na mesma! O ego agradece muito! :)

Look que me assenta na perfeição #7

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Do resto da tarde de ontem

Depois da visualização do vídeo do recital, fui à festa de aniversário da filha de uma amiga.

Como devem imaginar a partir de certa altura juntei-me aos mais pequenos. :)

Entretanto, comecei num desafio de beijos com o filho mais novo da minha amiga (tem quase 2 anos).
Comecei com um "T., dás-me um beijinho?". Olhou para mim com um ar super desconfiado. Insisti e consegui convencê-lo. A partir daí ele dava-me um beijinho e eu retribuía... e estivemos assim uns bons 5 minutos.
Tão lindo o meu "sobrinho"!!!!!! :)

domingo, 21 de julho de 2013

:O

E deslocar-me ao TCA para ver o vídeo do recital com os restantes colegas apenas por carolice pois tinha gravação das minha músicas (que já vi vezes e vezes sem conta).
E começar a ver/ouvir a minha 1ª música, esperar pelos sítios em que desafinei (porque já os tinha decorado nos vídeos que tenho) e as referidas desafinações não acontecerem?
E perceber que a minha voz soa completamente diferente no vídeo que fizeram do recital em comparação com os vídeos que eu tenho... e eu gosto da minha voz ali!
E pensar "ok, mas na 2ª música eu desafinei muito mais por isso vai ser aí que vou ver tudo a descambar".
E ouvir a 2ª música e perceber que falhei uma ou outra nota mas, no cômputo geral, a música ficou perfeita na minha voz.

Esta foi a minha tarde de hoje.... e eu ainda estou incrédula com tudo isto!

Conclusão final: tenho de trabalhar o sorriso e a expressividade... foi só o que faltou para tudo ser perfeito! :)

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Out of reach

Quando irei assimilar que estás completamente fora do meu alcance? Que eu querer-te não chega? Que tem de haver algo mais.... de mim, de ti!

Quando irei perceber que, apesar de estares à distância de um toque singelo, estás cada vez mais longe e distante?

Gostava que estivesses perto... que eu pudesse agarrar-te e beijar-te sem pruridos. Mas tu não permites que isso aconteça. Deixas-me aqui... sem qualquer forma de recuperar a tua ausência aparente. Sim, porque o facto de estares fisicamente perto apenas acentua a distância que nos afasta cada dia mais.

Quero-te, mas estás fora do meu alcance.


Felicidade é....


Eu nem queria acreditar quando percebi que a MINHA noção de felicidade tinha mesmo sido publicada!

Sim, neste momento esta é a principal razão da minha felicidade. :)

domingo, 14 de julho de 2013

Das crianças

Eu sou daquelas pessoas que sempre gostou de crianças. Quando era miúda, lembro-me perfeitamente de brincar a ser "mãe" das outras crianças que brincavam comigo (poucas e muito raramente já que fui criada sozinha com os meus pais).

Sou daquelas pessoas que está na fila do supermercado a fazer caretas ao miúdo que está à minha frente ou atrás de mim até lhe arrancar um sorriso e, a maior parte das vezes, um olhar daqueles de vergonha porque uma estranha está a meter-se com ele.
No outro dia fui às compras com uma amiga e a certa altura dei-me conta que me meti com praticamente todas as crianças de colo que se cruzaram connosco. :)

Fazer estas coisas são aqueles pequenos pormenores da vida que me fazem um bocadinho mais feliz!

Hoje fui almoçar com um casal amigo que tem um filho pequeno. Escusado será dizer que basta eu chegar à beira do puto, dizer-lhe "olá" e meter-me um bocadinho com ele que ele derrete-se todo!
Mas a melhor foi mesmo isto.... o almoço foi com um outro casal que tem uma filha pequena. Eu não conhecia o casal em questão.
Quando cheguei a miúda estava muito tímida (normal). Durante algum tempo andou por ali e eu a tentar meter-me com ela. Pouco tempo depois já brincava comigo e estivemos a brincar as 2. :)

Resumindo, ganhei mais uma "amiga"! E estes são os amigos que eu mais aprecio (não desfazendo dos meus amigos adultos - LUB U ALL) porque são os inocentes... que não mentem, não enganam. São puros de alma e é deles que virá o nosso futuro.

Já disse que ADORO crianças? :)

sábado, 13 de julho de 2013

Inveja alheia

Acho que é bastante perceptível que há pouco mais de um ano eu não era feliz. Que a minha vida se desmoronou ao longo de meses, de forma lenta e dolorosa.
Entretanto, abri os olhos, sacudi a poeira e reconstrui-me das cinzas, qual Fénix renascida!

A questão agora é que sou efectivamente FELIZ e demonstro a quem me rodeia. Demonstro porque rio, faço palhaçadas, digo "asneiras". Resumindo, estou de bem comigo mesma e com a vida!
O impressionante é que dou-me conta que deve haver muita gente infeliz à minha volta... infeliz e mesquinha o suficiente para achar que fazendo cara feia transmitem a sua própria infelicidade aos outros. Sim, porque não tenho grandes dúvidas que essas pessoas acham que se elas não são felizes, os outros também não podem ser.
E assim dou-me conta que há pessoas que me olham de lado quando me vêm às gargalhadas ou a dizer "asneiras". Que há pessoas que deixaram de me dirigir a palavra ou que passaram a "atacar-me" de tal forma que tive de ser eu a cortar o mal pela raíz.
Não é que, no fundo, não tenha pena dessas pessoas.... mas essas pessoas não são minhas AMIGAS e, portanto, lamento mas a infelicidade delas não me aquece nem arrefece. Não estou é para levar com a inveja alheia!

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Preto, branco ou cinza?

Ainda há uns dias, em conversa com uma pessoa, eu acabei a dizer que nos últimos tempos aprendi que a vida não é sempre preta ou branca… que às vezes existem uma série de cinzas pelo meio.
Quando o disse foi mais no sentido em que as relações interpessoais são demasiado complicadas para serem catalogadas em sim e não. O talvez também tem um papel muito importante.

E ontem, em conversa com outra pessoa totalmente diferente e que não sabe que eu disse esta frase, percebi a verdadeira abrangência deste meu comentário. Qual o verdadeiro significado de eu o ter dito naquele contexto.

Há de facto muitos cinzas na nossa vida e eu ainda estou a tentar perceber isso em mim e nos outros. E embora, racionalmente, eu já o tenha compreendido… emocionalmente, ainda o estou a interiorizar. Há coisas que têm de ser compreendidas muito devagarinho sob pena de não serem bem construídas e poderem desfazer-se em segundos!

Mas há cinzas que eu não quero constatar… há cinzas que eu preferia que continuassem ocultados pelo preto ou pelo branco. É que pensar que esses cinzas podem existir pode levar a um estado de dor que não irá compensar.
Ou então estou simplesmente a ser parva e tudo isto vai ser apenas mais uma pedra para construir o meu castelo.


domingo, 7 de julho de 2013

Psicologia

Só agora (sou mesmo lerdinha) é que me dei conta que na passada 5ª e 6ª-feira "servi" de psicóloga para 2 amigos meus.... que ainda por cima são grandes amigos entre si!

O 2º não sabe o que fiz pelo 1º e parece-me que o 1º também não sabe o que fiz pelo 2º.

Resumindo, agora tenho de andar com muito cuidado quando falar com cada um deles para não me "desbroncar".

Acho que vou começar a cobrar os serviços de psicologia.... é que isto assim torna-se complicado!

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Hoje é um dia bom!

Está calor, tenho familia, tenho amigos e todos temos saúde (pelo menos de uma forma genérica).
Tenho trabalho (que às vezes chateia assim um bocadinho pequenino), tenho os meus hobbies que eu adoro.
Tenho a minha casa e a minha independência.

Sou feliz e isso é o mais importante de tudo!

Só falta um "bocadinho assim" para ser muito feliz, mas esse bocadinho não tardará a concretizar-se... tenho a certeza absoluta! :)
(até porque eu sou teimosa e não desisto facilmente do que quero)

quarta-feira, 3 de julho de 2013

As pessoas sensíveis

As pessoas sensíveis não são capazes
De matar galinhas
Porém são capazes
De comer galinhas


O dinheiro cheira a pobre e cheira
À roupa do seu corpo
Aquela roupa
Que depois da chuva secou sobre o corpo
Porque não tinham outra
O dinheiro cheira a pobre e cheira
A roupa
Que depois do suor não foi lavada
Porque não tinham outra


"Ganharás o pão com o suor do teu rosto"
Assim nos foi imposto
E não:
"Com o suor dos outros ganharás o pão."


Ó vendilhões do templo
Ó constructores
Das grandes estátuas balofas e pesadas
Ó cheios de devoção e de proveito


Perdoai-lhes Senhor
Porque eles sabem o que fazem.



Sophia de Mello Breyner Andresen
(Livro sexto)

Experiências

Há quem defenda que nós somos invólucros vazios/ tábuas rasas que as experiências de vida vão enchendo/ deixando a sua marca e fazendo de nós pessoas que aprendem a, pelo menos tentar, não cometer os mesmos erros de forma sucessiva. Uns com mais sucesso que outros, outros com mais vontade e determinação que uns.

Se o somos ou não.... não sei! Mas a verdade é que todas experiências (boas, más ou mais ou menos) têm-me construído. Têm feito de mim uma pessoa com garra e com espírito vivo. Têm-me moldado e têm-me proporcionado um crescimento interior fantástico.

As pessoas que conheci durante toda a minha vida e que deixaram marcas (lá está, boas, más ou mais ou menos) também me ajudam/ajudaram neste meu crescimento.
Essas mesmas pessoas (mesmo que não tenham consciência disso) permitiram que eu seja quem sou hoje.

Por isso hoje faço uma ode não só às experiências e pessoas que me marcaram positivamente (porque a essas é muito mais fácil de agradecer) mas também às que me marcaram de forma negativa.

Apesar de ser muito mais doloroso agradecer a quem nos fez mal ou às situações que nos magoaram profundamente, é necessário tomar consciência que essas mesmas pessoas ou situações nos catapultam para outras que nos fazem bem demais.
Perceber isso e admiti-lo perante "os outros" é qualquer coisa de muito complicado. E em todo este processo há muita tristeza, muitas lágrimas, muita raiva....
Mas depois vem a paz de espirito!
E no fim de tudo.... isso é o mais importante. Simplesmente porque, ao atingirmos esse estado de calmaria emocional, isso significa que temos as experiências e as pessoas arrumadinhas dentro do nosso "invólucro"... que por esta altura já está bem cheio mas que tem sempre espaço para mais um.

Claro que depois de todo este exercicio de arrumação interior, voltamo-nos novamente para o exterior e vamos fazer uma nova revolução.... mas a isso chama-se VIVER!

terça-feira, 2 de julho de 2013

Vestido branco?

Pois.... parece que hoje à noite terei mais uma participação no palco de uma das salas do Teatro do Campo Alegre.
Desta feita será uma participação, em conjunto com os outros colegas de canto, no Recital de Leitura Poética (os alunos de leitura poética fizeram uma participação no recital de canto por isso estava prometida uma participação nossa no recital deles).

As cores escolhidas para este recital foram o branco e o bege.
Ora bem, quem me conhece, com alguma rapidez, perceberá que essas são cores que não habitam com abundância no meu armário.
Resultado, tive de andar à procura de um vestido bonitinho predominantemente branco ou bege para usar neste evento.

Confesso que foi tarefa bem complicada... mas lá encontrei um que me convenceu (mesmo assim foram precisos uns dias depois de o comprar até ficar plenamente convencida).

Ontem durante o dia comentei com uma amiga que hoje seria o dia de vestir o "vestido branco".... e foi aí que se fez luz!
Hoje faz 3 anos que me casei.... nesse dia não vesti branco (embora tenha havido alguém que vestiu branco nesse dia) porque entendi que não seria a cor apropriada para mim. Nesse dia vesti um vestido prateado que ainda está dentro do meu armário.... com a promessa que um dia o vou destruir à tesourada. Não porque não goste dele... mas porque foi escolhido juntamente com "persona non grata" para aquela ocasião muito especifica e acho que já não faz sentido que esse vestido exista. Acho que só estou mesmo à espera de cicatrizar algumas feridas para levar àvante os meus intentos.

Mas voltando à questão principal.... faz hoje 3 anos que me casei. E há 3 anos atrás nunca me passaria pela cabeça que hoje estaria divorciada e a viver um dos momentos mais belos da minha vida. Nunca me passaria pela cabeça que hoje, de todos os dias do ano, eu iria vestir um vestido branco e subir ao palco para cantar à frente de desconhecidos.

Mas, por vezes, " a razão tem razões que a própria razão desconhece". :)

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Agradecimentos

Antes de mais quero agradecer ao S. Pedro que não me desiludiu. Apenas lhe pedi temperaturas amenas durante os últimos dias de Junho e ele presenteou-me com uns dias lindos de autêntico Verão.... com umas temperaturas bem acima do esperado. :)
Acabei por estar 2 dias e meio feita "lagartixa ao sol" e até já tenho a marca dos bikinis no corpo. Yeaaaaaaahhhhhhhh!

Depois, quero agradecer a todos os que se lembraram de mim no dia do meu aniversário..... tenha sido porque o FB vos lembrou ou porque eu vos lembrei ou porque vocês sabem de cor e salteado o dia em que faço anos. Gosto muito de vocês todos.... e principalmente gosto muito de mim e adorei fazer anos! (coisa que já não acontecia há um tempinho)

Quero também agradecer a quem me faz sorrir todos os dias, a quem ouve as minhas parvoeiras, a quem respeita os meus silêncios.
Se hoje sou a pessoa que sou... também o devo a vocês! Os meus amigos! :)