terça-feira, 30 de abril de 2013

Amor

Eu amo-me, tu amas-me, ele ama-me,.....

O que é o amor a não ser algo com que nos iludimos diariamente? Quem ama o quê? Quem ama quem?

Porque insistimos em amar os outros em vez de nos amarmos a nós próprios em 1º lugar? Porque tem de haver sempre alguém para nos servir de muleta?

Não é isso que quero para mim....

1º quero amar-me a mim mesma! Quero conhecer-me porque só assim me poderei dar a conhecer com toda a minha amplitude!
Quero ser eu sem pensar se os outros vão gostar ou não!
O importante sou eu..... Eu e mais ninguém! E que me desculpe quem está à minha volta, mas sim vou ser completa e totalmente egoísta!

E só depois..... depois de tudo isto poderei, com toda a segurança, deixar iludir-me pelo amor externo.

Só aí poderei desfrutar de borboletas e estrelas e unicórnios e corações e e e.....

Porque só depois de ter os pés assentes no chão é que poderei colocar a cabeça nas nuvens e sonhar!

No fim de todas as contas o amor não passa disso.... de um sonho que insistimos em repetir, mesmo quando tudo à volta se desmorona e nos mostra que o que estamos a sentir é pura e simplesmente um engano.

Mas eu não perdi a esperança de que um dia vou viver algo que não vai ser um engano. Quem sabe se não será hoje? Ou amanhã? Ou daqui a um ano?
Não interessa quando será.... o importante é que um dia vai ser! E nesse dia eu vou estar preparada para o viver!

E depois....

Depois da conversa de ontem de "chatas" e "porrada" e afins...

Hoje tenho uma pessoa completamente diferente a dizer que sou "chata a menos". Olhem só que bem!

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Em modo serviço público de divulgação de cultura #22


Mais informações aqui.

Cuidado!

As minhas amigas são "terríveis" e defendem-me com unhas e dentes.

Por isso, neste momento tenho 2 amigas a "oferecer porrada" a uma 3ª pessoa.... apenas e só porque essa 3ª pessoa poderá achar-me chata!

Eu se fosse a vocês tinha medo! Muito medo! :D

Ora bem....

quem lê este blog deve estar a pensar que o "poço de escrita" secou.

Pois bem pelo contrário! Tenho escrito tanto ou até mais do que estava a escrever.

A questão é que os destinatários deixaram de ser "vocês" e passaram a ser 2 ou 3 pessoas em concreto.

Ainda assim, estou a trabalhar um texto para publicar aqui..... a questão é que tanto posso dá-lo como pronto amanhã como daqui a 1 mês!

Vamos indo e vamos vendo! ;)

domingo, 28 de abril de 2013

Da tarde de hoje


Querida Sophia,

Afinal as mónicas continuam
são as de sempre.
Fazem psicanálise e ioga,
cabeleireiro aos sábados e depilação 2 vezes por mês.
Não têm filhos mas adoptam-nos
como dão guarida aos cães
têm-nos de toda a qualidade
e para qualquer situação:
de cego para quando acordam cedo
e o excesso de luz as perturba;
da pradaria se pretendem preciosidades
raridades escondidas;
de água quando temerariamente mergulham
Quelques centimètres plusfond;
Briard quando precisam de inteligentes
e corajosos ou de pelagem abundante e
algo ondulado como os define
o dicionário Houaiss;
e finalmente de guarda ou de
fila não venha a coisa tornar-se pior.
Por vezes, estes últimos, podem tornar-se pegajosos,
inoportunos, indesejáveis
pelo que recebem o nome de miúdo ou
tinhoso, como o do rabo comprido, o
que também as enfeitiça
por fugir à norma, ao vulgo, ao
tremoço.
São de sempre as mónicas
e quando falam ao telemóvel
usam uma voz recortada
como as mitenes da avó
e nunca amanham peixe
ou se amanham é para utilizar
as escamas em quadros florais
dispostos corredor acima.
Ao peixe comem-no cru,
para experimentar outras culturas.

Ana Paula Inácio

quinta-feira, 25 de abril de 2013

I believe!


I believe that happy girls are the prettiest girls.
I believe in pink.
I believe that laughing is the best calorie burner.
I believe in kissing, kissing a lot.
I believe in being strong when everything seems to be going wrong.
I believe that tomorrow is another day  and
I believe in miracles.

Audrey Hepburn

terça-feira, 23 de abril de 2013

Da minha banda sonora #21

Em modo serviço público de divulgação de cultura #21


Hoje, 23 de Abril, é relançado o livro “Uma Aventura no Porto” de Isabel Alçada e Ana Maria Magalhães, mas desta vez com um episódio vivido no interior da Torre dos Clérigos.

São três as sessões de lançamento (10h00 | 11h30 | 15h00) deste livro, na Igreja dos Clérigos, com a presença das autoras. Em simultâneo com o lançamento, decorrerá uma encenação de um episódio do livro passado na Torre, pelos alunos de Teatro do Rosário.

Importância!

Acabei de perceber o quão importante sou!

E como?
Ao tentar entrar na minha conta de FB recebi a mensagem de que a conta está temporariamente bloqueada por demasiados acessos.

Really???? Alguém tentou aceder à minha conta de FB?
Não me sabia assim tão importante!

Só para finalizar.... agradecia à pessoa que tentou fazer tal que não repetisse a proeza. Efectivamente não sou assim tão interessante!

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Linguagem

A linguagem não é só as palavras que transmitimos seja pela via oral ou pela escrita.

A linguagem é também:
* as expressões que fazemos,
* os olhares que trocamos,
* as inflexões na nossa voz,
* as posições que damos ao nosso corpo,
* aquele pequeno toque que oferecemos e recebemos,
* etc. etc.

O problema no meio disto tudo é que, sendo assim, a maior parte da linguagem não é explicita e fica simplesmente no limbo do provável.
Por isso é que se geram mal entendidos... e por vezes ficamos na dúvida sobre qual o significado de determinada palavra ou frase.

Se conseguissemos expressar (com palavras) todos os pensamentos que nos passam na cabeça seria tão melhor! Não se gerariam mal-entendidos nem andariamos equivocados com determinadas situações...

Claro que também há aquelas situações em que os actos são demasiado óbvios e nós é que não os queremos ver mas sobre isso ficava horas a escrever e não conseguia esgotar o tema!
É melhor passar para coisas mais alegres! :P

Em modo serviço público de divulgação de cultura #20


Ciclo “Chá de Folhas”: Conversas Originais sobre Literatura, na Casa de Chá de Serralves

27 de Abril, às 15h30
“Se não podemos mudar de país, mudemos de assunto”
Rui Lage

A iniciativa “Chá de Folhas” propõe, até julho, no último sábado de cada mês, entre as 15h30 e as 17h30 na Casa de Chá de Serralves, leituras partilhadas e conversas animadas por escritores, professores e investigadores de literatura, a maioria dos quais são do Porto.

sábado, 20 de abril de 2013

A perfeição é feita de imperfeições!

Já pensaram que não é por possuirmos pequenas imperfeições que vamos ser menos perfeitos? Não é porque nos enganamos na letra ou numa nota de uma música (mesmo que seja em frente a um público atento) que vamos ser crucificados para todo o sempre.

Mostrar as nossas imperfeições é mostrarmos que somos humanos e falíveis e isso é precisamente o que  nos faz perfeitos!!!

Não mostrar imperfeições é aborrecido.
Quem é que quer viver em "linha recta", tomando todas as atitudes correctas e sempre "em cima do risco"?
Sair do risco, fazer umas piruetas e voltar é o que dá sabor à vida!

E eu quero ter sabor na minha vida..... Por isso, tenho imperfeições, admito as minhas imperfeições mas sei que sou e sempre serei perfeita! :)

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Para mim hoje é 6ª!!!!

E com este tempo maravilhoso já só penso no almoço à beira-mar que vou ter amanhã!

terça-feira, 16 de abril de 2013

Em modo serviço público de divulgação de cultura #19

Inaugurações Simultâneas
Quarteirão Miguel Bombarda
20 de abril | 16h00
Em dia de Inaugurações de Bombarda, a Câmara Municipal do Porto, através da PortoLazer convidou a Culture Print, a Portugal Lovers e a Terra na Boca, Associação Cultural, para criarem, desenvolverem projetos nas zonas envolventes do quarteirão de Bombarda, de forma a criar um percurso de animação na cidade.


Em modo serviço público de divulgação de cultura #18

1.ª Avenida | Inauguração do Edifício Axa
19 de abril | 22:00 | Avenida dos Aliados, 211
Abertura do edifício AXA à cidade e dois grandes fins de semana: 19, 20, 21, 26, 27 e 28 de abril

Programa dia 19 de abril
22:00 - Concerto Vertical

Banda Sinfónica Portuguesa (nas janelas e varandas do edifício - fogo de artifício - performance)
O projeto "1ª Avenida" apresenta à cidade um edifício que passará a ser âncora de animação na sala de visitas do Porto: os Aliados.
Um edifício de 7 andares, com mais de 4.500 m2 e mais de 50 salas, e que será muito brevemente ocupado por agentes culturais e artísticos da cidade e por novos talentos que ocuparão todo o imenso espaço antes ocupado pelos serviços de uma companhia de seguros.
Em plena Avenida dos Aliados, a 2 passos da Câmara Municipal, o projeto "1.ª Avenida" resgata para a fruição da cidade o "Edifício AXA", dotando o Porto com um espaço de intervenção artística e cultural com uma missão vocacional bem definida: ser uma montra da cultura e arte contemporâneas produzidas na cidade, nas diferentes disciplinas artísticas e constituindo-se assim como uma âncora de animação cívica e cultural da avenida central do Porto, os Aliados.

Mais informação em:


Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão
Porque os outros têm medo mas tu não.

Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.

Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.

Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.

Sophia de Mello Breyner Andresen

Bom dia!!!!!!!!!

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Em modo serviço público de divulgação de cultura #17

Concertos nos dias 20 e 21 de abril na Igreja do Clérigos pela Escola Superior de Música, Artes, e Espetáculos do Porto 

Evento no âmbito da celebração dos 250 anos da Torre dos Clérigos. 

20 de Abril (sábado)
10h00-12h30 - concertos
15h00-21h00 - concertos

21 de Abril (domingo)
10h00-12h30 - concertos
12h30 - concerto de Carrilhão
15h00-19h00 - concertos



Da minha banda sonora #20


Da minha banda sonora #19

domingo, 14 de abril de 2013

Apetecia-me!

Apetecia-me ouvir a tua voz mas não há forma de isso acontecer.

O piano da Kika

(numa conversa sobre instrumentos musicais)

Kika - O piano tem uma cauda e teclas pretas e brancas.
Eu - Oh Kika, e tu sabes o que são as teclas pretas e brancas?
Kika - Sei! São para pôr os dedos e tocar!

PIMBAS! (fiquei completamente desarmada)

sábado, 13 de abril de 2013

Do tempo

- Os seres humanos encaram o tempo como uma linha reta. Aos olhos deles, é o mesmo que fazer furos num pau comprido e plano. Como se dissessem  estamos aqui, neste ponto, que representa o presente, o que fica para trás é o passado, e ali à frente está o futuro. Entendes?
- Acho que sim.
- Acontece que, na realidade, o tempo não é uma linha a direito. Não tem forma. carece de forma, em todos os sentidos. Visto que nós somos incapazes de imaginar algo amorfo, dá-nos jeito concebê-lo como tratando-se de uma linha reta, mas não passa de uma convenção. Nós, seres humanos, somos os únicos capazes de proceder a essa transposição de conceitos.
- Se calhar, estamos enganados.
Aquela afirmação da jovem deixou Tengo pensativo.
- Queres dizer que, se calhar, nos enganamos ao considerar o tempo uma linha a direito?
Fuka-Eri não respondeu.
- Claro, existe essa possibilidade. pode ser que estejamos enganados e que os corvos tenham razão. Talvez o tempo não seja em nada parecido com uma linha direita. Talvez, quem sabe?, tenha a forma encurvada de um doughnut - sugeriu Tengo. - Porém, vivemos durante milhares de anos agarrados a essa ideia, que é como quem diz, a viver na base da premissa que o tempo é uma linha reta que se prolonga até ao infinito. E, até à data, nunca se verificou nada que contrariasse essa teoria. Tão-pouco se descortinaram quaisquer inconvenientes. De modo que, enquanto regra empírica, deveria ser válida.

1Q84#3 by Haruki Maurkami

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Perdida

E se de repente te dás conta que estás completamente perdida?
Não sabes o que pensar, o que dizer, o que fazer,.....

Não consegues saber o que vai no pensamento alheio e isso deixa-te completamente desnorteada... até porque umas vezes achas umas coisas mas no segundo seguinte já achas outras completamente opostas.
Os sinais que te transmitem não fazem o mínimo de sentido e tu andas ao "sabor do vento".

Sabes que estás perdida. Admites que estás perdida. E não há forma de te encontrares!

Oh meu Deus! Se a vida fosse tão fácil como encontrar as direcções para determinada morada! Aí de certeza que eu não me iria perder.... até podia andar uns "minutos" às voltas mas rapidamente me orientava.

:D

Chegar ao trabalho, ligar o computador e ter um e-mail de resposta da minha formadora de canto (conversa super informal e que nada tem a ver com a formação).

Nesse e-mail (e porque no anterior me "chibei" e contei que esta semana tenho sido uma baldas) ela diz-me que não está nada preocupada comigo!

Acho que vou ficar com um sorriso estúpido no rosto durante, pelo menos, o resto do dia! :D

E depois de mais de 3 horas!

Finalmente ter o leitor de rss feed limpo!!!!! (que trabalheira)

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Considerações de final de dia:

1º Ginásio??? Naaaaaaaa Conduzir carros sem direção assistida já faz o efeito desejado!

2º Entrar em lojas com a intenção de comprar camisas e sair de lá com mini-saias.... Parece-me muito bem! :)

Amor como em Casa


Regresso devagar ao teu
sorriso como quem volta a casa. Faço de conta que
não é nada comigo. Distraído percorro
... o caminho familiar da saudade,
pequeninas coisas me prendem,
uma tarde num café, um livro. Devagar
te amo e às vezes depressa,
meu amor, e às vezes faço coisas que não devo,
regresso devagar a tua casa,
compro um livro, entro no
amor como em casa.

Manuel António Pina

Chegaste...

Chegaste. Eu não te esperava. Contigo trouxeste a ternura, o desejo e, mais tarde o medo. Chegaste e eu não conhecia essa ternura, esse desejo. Em casa, no meu quarto, neste quarto, revi os teus olhos na memória, a ternura, o desejo. E, depois, aquilo que eu sabia, o medo. E passou tempo. Eu e tu sentimos esse tempo a passar mas, quando nos encontramos de novo, soubemos que não nos tínhamos separado.

José Luís Peixoto

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Bendito!

From friendship!

Ainda não o fiz publicamente mas neste momento da minha vida tenho muito a agradecer aos meus amigos.
Aos antigos e aos mais recentes.

A todos os que estão lá quando preciso!
Aos que me acompanham nas minhas maluquices.
Aos que me levam a concertos.
Aos que me gozam quando sabem que decidi ir sozinha a sitios improvaveis.
Aos que me dizem parvoices que fazem todo o sentido.
Aos que me comovem com palavras bonitas.
Aos que precisam de mim e eu estou lá para apoiar.

Não vou enumerar ninguém simplesmente porque podia esquecer-me de alguém o que seria tremendamente injusto.
Por isso a todos vocês que com certeza sabem quem são.... MUITO OBRIGADA!

domingo, 7 de abril de 2013

Planos? Mas que planos?

Temos o fim-de-semana bem estruturado, com os planos muito bem delineados.

Quando, de repente, trocam-nos as voltas e temos de fazer umas quantas alterações.

E foi assim o meu fim-de-semana que hoje termina!

PS - pelo menos a alteração de planos levou-me  a passear na marginal de Leça.... só foi pena o vento frio que se fazia sentir!

sábado, 6 de abril de 2013

Parvoíces ou talvez nem tanto....

Numa boa noite bem comida e bem regada há sempre parvoíces que são ditas...

Neste caso A parvoíce que fica para memória futura é:

"Oh Sofia, tens de arranjar maneira de lhe tirar a gravata. Vais ver que resulta!"

Claro que a partir daí comecei a imaginar formas de o fazer e a certa altura a gravata já era arrancada à dentada.... mas isso são só pequenos pormenores! :P

sexta-feira, 5 de abril de 2013

:D

To be or not to be

Diz uma amiga minha: "Estás linda, estás!"
A minha resposta: "Mas eu sou linda!" :)

It's something in the way you move

I just want to tell you that there is something in the way you move that makes me happy.
There is something in the way you talk that makes me smile.
There is something in the way you touch me that makes me feel ecstatic.

I just want to tell you that your existance is a joy.
And that I feel blessed that you are a part of my life.

I want to tell that I could live without you by my side but it wouldn't be the same.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Universo paralelo

Às vezes tenho a sensação que vivo num universo paralelo... Onde não vivo a minha vida mas apenas a observo de longe. E não acredito nas coisas que me acontecem.

Da minha banda sonora #17

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Há dias assim....

Hoje está cinzento lá fora... mas com o que eu já me ri (principalmente de mim própria) acho que posso dizer que aqui dentro está SOL! :D

terça-feira, 2 de abril de 2013

Ele há coisas!

Há coisas que só acontecem para eu me rir! Só pode!

Pelo amor de Deus, eu não quero acreditar que há mesmo gente tão mal-educada e com tanta mania...

Bom, mas se é esse o propósito ele atinge o objectivo porque eu farto-me de rir!!!!!

Da minha banda sonora #16

Sociedade

É um facto que a nossa sociedade encontra-se demasiado standardizada. Temos de ser todos iguais, vestir todos o mesmo, comer todos o mesmo.
Todos temos de gostar do vermelho e ai de quem disser que gosta do azul! Porque o azul não é fashion e dizer que se gosta dessa cor é um atentado à nossa própria imagem social.

E no fim de contas onde cabem as minorias.... que provavelmente até nem são minorias! São simplesmente grupos de pessoas com atitudes e pensamentos diferentes dos ditos "normais" mas que são colocadas de parte pura e simplesmente porque não têm pensamento tipo "carneiro".

Cada um de nós tem a sua própria identidade, as suas próprias caracteristicas que nos fazem únicos e diferentes do nosso vizinho do lado.
Tal como tu disseste, cada um de nós tem a sua própria luz e devemos deixar que essa luz seja vista por todos os que nos rodeiam....

Porque a minha luz é bonita com todas as suas caracteristicas, tal como a tua luz é bonita com caracteristicas complemente diferentes!
E se nós próprios não aceitarmos esse facto.... como é que os outros o vão ver e admirar? É completamente impossivel!

Eu sinto que estou a começar a aceitar que tenho essa luz dentro de mim e que quero que os outros a vejam!


Adaptação de um texto meu, direccionado a uma conversa particular.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Das coisas que me dizem/ escrevem

Já me escreveram isto há uns dias mas acho que só hoje é que li estas palavras com a devida atenção:

Mas a sorte não é de ninguém... e tudo é efémero e nada está garantido. Mais vale, por isso, deixar a luz que temos dentro de nós iluminar o nosso dia...

Simplesmente.... gostei! Obrigada ao seu autor. :)

Desta coisa estranhíssima que é o processo de criação

Nunca tive esta sede de escrever, escrever, escrever... por isso nunca tinha passado por estas fases do processo criativo.

Tenho textos que me saem numa penada.... Entre ter a ideia, colocá-la no "papel" e publicá-la às vezes é uma questão de minutos.

Tenho outros que ando dias e dias a empatar. Muda palavra aqui e outra ali. Muda vírgula. Tira ponto final.

Tenho outros em que escrevo o título e fica ali a marinar tempo sem fim!

Mas o melhor de tudo é.... depois de publicar o texto (e tenho a "politica" de que depois de publicado não mexo) venho ler o que eu própria escrevi várias vezes.
Como se aquelas palavras não tivessem saído de dentro de mim e eu precisasse de as ler vezes e vezes sem conta para as interiorizar.

Se gosto do que escrevo? Bom, o melhor é não irmos por aí... Mas pelo menos as coisas saem com relativa facilidade e não ficam entaladas como tantas vezes ficaram.
Pelo menos essa é uma vantagem que adquiri com todas estas mudanças.