quinta-feira, 14 de março de 2013

A tua companhia

Quero que percebas que gosto da tua companhia, que gosto das maluquices que te saem da boca quando temos as nossas conversas "filosóficas". Gosto que me "piques" e me ponhas a pensar. Tal como gosto de te "picar" e pôr a pensar.
Porque é assim que tem de ser. Temos de gerar entropia para também a recebermos... e já percebi que connosco esse estado é permanente mesmo que não o seja de forma consciente (será que tu também já percebeste o mesmo?).

Gosto quando de repente percebo que tens mais um "apelido carinhoso" para me chamares. Pode não parecer nada mas para quem não sabe o que é ter um "apelido carinhoso", é muito!

Gosto que olhes para mim. Estive toda a minha vida a fugir dos olhares alheios e hoje gosto deles.... mas mais do que dos olhares do outros, gosto do teu!

Gostava de te ler os pensamentos quando olhas para mim. Gostava de perceber, sem qualquer sombra de dúvida, o que sentes quando estou ao teu lado.
Nesse ponto ainda não te consegui "ler". És uma incógnita porque não te queres mostrar. Porque, às vezes, foges e ainda não consegui compreender do que foges. E depois tens as vezes em que não foges e permaneces ao meu lado. E deixas-me feliz só porque me disseste e me fizeste dizer um monte de parvoíces com sentido. :)

Quero que percebas que (mesmo sem dares conta) me estás a envolver numa teia da qual não quero sair.

E hoje é o dia em que admito o que andei a negar durante todo este tempo.
Estou enamorada de ti!

Sem comentários:

Enviar um comentário