domingo, 31 de março de 2013

Tic-tac, tic-tac


Os ponteiros do relógio movem-se sem respeitarem o nosso próprio tempo. Sem reflectirem no efeito que têm em nós. Os ponteiros do relógio movem-se... tic-tac, tic-tac.
E nós ficamos parados a observá-los, numa inércia que nos é característica.

Os ponteiros movem-se e nós saímos do marasmo que nos afecta. Olhamos à volta e vemo-nos reflectidos no próprio relógio.
"Quem é aquela pessoa que está ali? É parecida com alguém que conheço.... mas com quem?"

Tic-tac, tic-tac....
O tempo passa e nós ficamos cada vez  mais velhos. Quando damos conta já não há tempo. E a questão primordial é o que fizemos com o tempo?.
Desleixamo-nos e ele escapou-nos pelos dedos das mãos. E de repente queremos agarrá-lo e aproveitar cada tic e cada tac, cada movimento dos ponteiros do relógio. Mas agora já é tarde, já não há tempo suficiente!

sábado, 30 de março de 2013

Screw the plans!


Em vez de fazer o que tinha planeado para o dia de hoje, estive a:
1º ver séries;
2º ouvir música em modo repeat (alguma cantada por pessoas que gosto em vez dos originais);
3º cantar.

Acho que foi um dia mais proveitoso do que se tivesse feito o planeado.

Da minha banda sonora #15



Ilusão

Se agora estás ali, à distância de um olhar.
No segundo seguinte já não estás. Não passas de uma ilusão de óptica. E deixas-me insegura porque nunca sei se efectivamente és real ou não.


Quando me fazes companhia, o que me dizes conforta-me a alma. Mas é mesmo assim? Ou fazes-te passar por algo que não és apenas para me apaziguar?

Olho à volta e quero acreditar que és assim, tal como te mostras. Que não usas máscaras.
Quero acreditar em ti e nos que te rodeiam..... que cada vez te tornam mais real aos meus olhos. A ilusão começa a desvanecer e tu tornas-te mais real a cada dia que passa.

sexta-feira, 29 de março de 2013

Cantar?

Quando pensamos no acto de cantar, associamos a uma série de respostas físicas e (por norma) não associamos à psique.

Nos últimos dias deparei-me com uma dificuldade imensa em cantar. Em 1º lugar associei a uma alteração física mas a situação manteve-se durante tanto tempo que não podia ser só isso! Comecei a entrar em verdadeiro desespero por isso acabei por desistir temporariamente de o fazer.

Desabafei com quem de direito que basicamente me disse (não por estas palavras mas era esta a intenção) para eu deixar de ser parva... que estou a soar cada vez melhor e, eventualmente, estaria a sentir isso por estar com o ouvido mais treinado e sensível a estas coisas.

Ontem tive a minha sessão semanal de canto. Combinei com a Celeste e cheguei um pouco mais cedo para ela me ajudar de forma mais individualizada. E sabem qual foi a minha conclusão?
As barreiras psicológicas são mesmo tramadas!!!! Comecei a trabalhar a música com ela, ela deu-me as dicas habituais, escreveu no meu papel "TOMATES!!!" (que é uma coisa que eu ainda não tenho) e, de repente, fui tendo uma série de cliques e a coisa foi ficando cada vez melhor.

No fim, WOW nem parecia a mesma que tinha começado a cantar 10 minutos antes.

Por isso meus amigos, quando pensarem que cantar é só um acto físico.... esqueçam isso!
Cantar é um acto muito psicológico! E ou ultrapassas as barreiras que te "prendem" ou então é muito complicado!

quinta-feira, 28 de março de 2013

Mais uma coisa que me deixa feliz

Chegar ao trabalho e receber abraços e beijinhos e mais abraços e beijinhos e quase ser atirada ao chão com tanto mimo! :)

Loving it!

terça-feira, 26 de março de 2013

Really?

Há quem vá de férias.... e quando volta vem com umas ideias que me deixam de boca aberta e completamente sem resposta.

E é assim que andamos por estas bandas.

Das coisas que me deixam mesmo feliz

No sábado estive com uma amiga que tem um menino com quase 9 meses.
Estou com ela poucas vezes e dessas poucas vezes ela nem o tem levado.

Resumindo acho que só tinha visto o menino 1 vez!

Cheguei a casa dela e o piolhito estava sentado na sua cadeira. Olhou para mim de lado. Ao que ela disse logo "olha que ele estranha muito... se começar a chorar não te admires"

Comecei a meter-me com ele.. Passado pouco tempo já se ria para mim e veio ao meu colo sem estranhar, chorar ou tentar fugir para a mãe.

Até a minha amiga ficou admirada! :)

E estas são as coisas que me fazem verdadeiramente feliz!

Da minha banda sonora #13

segunda-feira, 25 de março de 2013

Papoilas e estrelas


Sonho que estamos juntos num campo de papoilas.
Sonho que corro e que corres atrás de mim.
Sonho que páro de repente e me deito no chão a olhar o céu azul.
Sonho que me segues os passos e ficamos assim, deitados lado a lado a observar o céu limpo.

Sonho contigo, com o vermelho das papoilas e com o azul do céu.
Sonho com a tranquilidade que me transmites apenas e só por estares ao meu lado. Sem ser necessário trocarmos palavras consegues tranquilizar-me, consegues colocar-me num estado de serenidade que nunca tinha atingido.

Anoitece! E o azul limpido do céu transforma-se em azul escuro salpicado de pequenos pontos brancos.
Nessa altura olhas para mim, apontas para um desses pontos brancos e dizes que aquela vai passar a ser a nossa estrela. Aquela para a qual vamos olhar nos dias em que não estivermos juntos e que vamos reconhecer como nossa.
Questiono-te sobre como vamos identificá-la, como vamos saber que é aquela e não outra qualquer na imensidão do céu? Respondes que sempre saberemos porque é a que mais brilha. Porque juntos brilhamos e é assim que nos devemos ver refletidos no céu.

Aninho-me nos teus braços e colocas uma papoila nos meus cabelos. Sinto o teu cheiro a impregnar-se na minha pele. Sinto o toque da tua pele na minha e sorrio.

E ficamos assim até eu acordar do meu sonho. Até eu perceber que tudo não passou da minha imaginação.
Ainda assim a sensação de tranquilidade que me transmitiste permanece, assim como o teu cheiro no meu corpo.... e aquela vai ser a nossa estrela para todo o sempre. Mesmo que tu nunca saibas da existência dela.

Planos, planos, planos

Neste momento estou a pensar na minha marcação de férias e planos é coisa que não falta nesta minha cabecinha!

Só falta decidir se vou fazer férias de dolce fare niente ou se vou "buscar" mais 5 dias de férias.

Os planos estão a ser arquitectados para as duas opções e quando chegar a altura de marcar de forma oficial tomarei a decisão!

Da minha banda sonora #12

domingo, 24 de março de 2013

Magoada!

Há coisas que, quando se lhes mexe, magoam demais!

Ler provas do quanto fui enganada, trapaceada, vigarizada, etc. é uma dessas coisas.
Perceber que fui vítima porque deixei. Porque permiti que tu me vitimizasses e me transformasses num trapo humano, é algo de duro! Muito duro!

Porque no fim de tudo o que magoa verdadeiramente é a mentira. Aquela mentira que tu contaste vezes e vezes sem conta e na qual eu acreditei... acreditei até ao dia em que descobri o mentiroso em que te tornaste. E a partir daí deixei de acreditar em todas as palavras que te saíram da boca e coloquei em dúvida todas as acções que tomaste (no passado, presente e futuro).

Podes-te achar superior a todas as outras pessoas... mas no fundo não passas de um reles mentiroso.

E eu? Eu deixei de ser a tua vítima e nunca mais vou permitir que alguém me vitimize.
Subestimaste! Achaste que eu nunca iria descobrir o que andavas a fazer. Achaste que eu era "pequena" quando afinal eu sou "grande" e poderosa.

No fundo quem perdeu foste tu! Porque eu... eu ganhei-me a mim mesma!

Soneto do amor

Não me peças palavras, nem baladas, 
Nem expressões, nem alma... Abre-me o seio, 
Deixa cair as pálpebras pesadas, 
E entre os seios me apertes sem receio. 

Na tua boca sob a minha, ao meio, 
Nossas línguas se busquem, desvairadas... 
E que os meus flancos nus vibrem no enleio 
Das tuas pernas ágeis e delgadas. 

E em duas bocas uma língua..., — unidos, 
Nós trocaremos beijos e gemidos, 
Sentindo o nosso sangue misturar-se. 

Depois... — abre os teus olhos, minha amada! 
Enterra-os bem nos meus; não digas nada... 
Deixa a Vida exprimir-se sem disfarce! 

José Régio

sábado, 23 de março de 2013

sexta-feira, 22 de março de 2013

Há dias...

Há dias em que a inspiração escapa pelos dedos das mãos!

Hoje é um desses dias!

quarta-feira, 20 de março de 2013

Espertinha

Hoje resolvi armar-me em esperta e vestir-me de forma mais fresca/ primaveril. (não me podem mostrar uns raiozinhos de sol)

Escusado será dizer que ainda não consegui tirar o casaco grosso que vesti por cima da roupa!
Em que pensar, agora, senão em ti? Tu, que 
me esvaziaste de coisas incertas, e trouxeste a
manhã da minha noite. É verdade que te podia
Dizer “ Como é mais fácil deixar que as coisas
não mudem, sermos o que sempre fomos, mudarmos
apenas dentro de nós próprios?” Mas ensinaste-me
a sermos dois; e a ser contigo aquilo que sou,
até sermos um apenas no amor que nos une,
contra a solidão que nos divide. Mas é isto o amor,
ver-te mesmo quando te não vejo, ouvir a tua
voz que abre as fontes de todos os rios, mesmo
ele que mal corria quando por ele passámos,
subindo a margem em que descobri o sentido
de irmos contra o tempo, para ganhar o tempo
que o tempo nos rouba. Como gosto, meu amor,
de chegar antes de ti para te ver chegar: com
a surpresa dos teus cabelos, e o teu rosto de água
fresca que eu bebo, com esta sede que não passa. Tu:
a primavera luminosa da minha expectativa,
a mais certa certeza de que gosto de ti, como
gostas de mim, até ao fim do mundo que me deste.


Nuno Júdice

Fábrica de Escrita

terça-feira, 19 de março de 2013

Craziness

Há uma tarefa doméstica que faço a ver séries, filmes, you name it!

Hoje vi o que sobrou do episódio de ontem (pois... ultimamente adormeço sempre a ver qualquer coisa)... e depois não me apeteceu ver mais nada.

Liguei o Spotify e pus umas musiquitas daquelas que tenho andado a descobrir nos últimos tempos.
Quando me dei conta estava a dançar!!!


Ora digam lá que eu não ando maluquinha de todo!!!! :P
(mas eu gosto desta minha maluquice, ok?)

E de repente....

E de repente penso na vida e no que ela me trouxe de bom.
Penso nas pessoas que os momentos que experienciei me trouxeram.... e nas que se foram, por motivos melhores ou piores.

Penso em mim e em como me sinto renovada e cheia de energia.
É verdade que tenho momentos em que tenho a sensação que há quem me "sugue" essa energia. Mas a verdade é que me renovo com uma velocidade alucinante.

Penso no que quero para mim, para o meu futuro mais próximo e para o mais longinquo.
Percebo que não posso controlar todos os aspectos da minha vida. Que há coisas que saem fora do controlo só porque sim, porque têm "vida própria" e é assim que tem de ser.
Mas há outras que eu tenho a certeza que vou fazer, seja qual for a volta que a vida dê. Posso até não obter o resultado final pretendido (posso sofrer horrores no processo de tentativa) mas ninguém me poderá acusar de querer algo e nunca lutar pelo que quero.

Porque é isso que vou fazer para o resto da minha vida. LUTAR pelo que acredito e pelo que quero para mim! LUTAR pela minha felicidade.... mesmo que isso me arrase momentaneamente.

E de repente sei que vou LUTAR sempre! A inércia fica no passado e não volta mais! Nunca mais!

Da minha banda sonora #10

segunda-feira, 18 de março de 2013

Parvoíces, só parvoíces!

Mas porque é que será que quando digo/escrevo um monte de parvoíces me sinto com o espírito leve?
E quando vou reler essas parvoíces fico com um sorriso nos lábios.... :)

Da minha banda sonora #9

Trenga?

Trenga? A sério?

Agradecia que parassem de me chamar trenga...
(como é que pessoas que não se conhecem nem conhecem as conversas uns dos outros dizem/fazem as mesmas coisas com horas de diferença?)

Ou então meus amigos, concretizem o que querem o dizer com o "trenga" que eu confesso que ando baralhadinha de todo!

Ora bem!

Eu a pensar que, com o post em que admito estar enamorada, iam cair em cima de mim a dizer "EU SABIA!!!" e afinal ninguém se manifesta.
Será que pensam que este foi apenas e só mais um devaneio da minha parte e que agora venho cá dizer ah e tal, afinal não é bem assim.

Pois... desta vez não o vou fazer! Desta vez estou mesmo a admitir que há alguém que anda a mexer com o fundo do meu ser.
Esse alguém não sabe (ou pelo menos eu acho que não) o efeito que tem em mim.... nem vai saber tão cedo, se é que alguma vez vai saber (muito pouco provável).

Mas basicamente eu acho que precisava de tirar isto de dentro do meu peito. Há já algum tempo que quem me é mais próximo me diz que eu precisava admitir este sentimento. E eu negava... negava sempre!
Porque "nós" somos sempre assim... só vemos o que está à nossa frente quando estamos preparados para ver! E eu não estava preparada!

Não que agora me sinta preparada.... mas lá está, precisava de tirar este sentimento de dentro do peito porque já estava aqui a "queimar".

E agora? Agora continuamos o curso normal da vida.

sábado, 16 de março de 2013

Cumplicidade

É bom perceber que as pessoas olham para ti com olhos de ver.
Que há cumplicidade que começa a despontar e que os outros confiam em ti para te contar ideias em 1ª mão.

Eu  gosto disto! Muito mesmo! :)

sexta-feira, 15 de março de 2013

Coisas que me deixam piursa!

Acharem que são muito espertos e tentarem fazer de mim parva!
Apelam logo à "pessoa má" que tenho dentro de mim.... e depois vêm queixar-se de mim às minhas colegas! Ganhem juízo meus senhores!

Páscoa?

Sim, gosto da Páscoa!
E um pacotinho destas já veio hoje comigo.....

quinta-feira, 14 de março de 2013

A tua companhia

Quero que percebas que gosto da tua companhia, que gosto das maluquices que te saem da boca quando temos as nossas conversas "filosóficas". Gosto que me "piques" e me ponhas a pensar. Tal como gosto de te "picar" e pôr a pensar.
Porque é assim que tem de ser. Temos de gerar entropia para também a recebermos... e já percebi que connosco esse estado é permanente mesmo que não o seja de forma consciente (será que tu também já percebeste o mesmo?).

Gosto quando de repente percebo que tens mais um "apelido carinhoso" para me chamares. Pode não parecer nada mas para quem não sabe o que é ter um "apelido carinhoso", é muito!

Gosto que olhes para mim. Estive toda a minha vida a fugir dos olhares alheios e hoje gosto deles.... mas mais do que dos olhares do outros, gosto do teu!

Gostava de te ler os pensamentos quando olhas para mim. Gostava de perceber, sem qualquer sombra de dúvida, o que sentes quando estou ao teu lado.
Nesse ponto ainda não te consegui "ler". És uma incógnita porque não te queres mostrar. Porque, às vezes, foges e ainda não consegui compreender do que foges. E depois tens as vezes em que não foges e permaneces ao meu lado. E deixas-me feliz só porque me disseste e me fizeste dizer um monte de parvoíces com sentido. :)

Quero que percebas que (mesmo sem dares conta) me estás a envolver numa teia da qual não quero sair.

E hoje é o dia em que admito o que andei a negar durante todo este tempo.
Estou enamorada de ti!

Já a pensar no Verão!

Ora a pensar nas minhas férias nas Caraíbas, tenho de começar a olhar para a "roupa de praia".
E hoje, ao ver o post da Mónica Lice sobre este assunto, gostei daquele bikini coral/verde água.

Agora é descobrir se está de acordo com a minha carteira.

Da minha banda sonora #8

Esta é dedicada à Joana!
Sim, que ela anda viciada nesta e isso faz com o raio da música não me saia da cabeça!
(o facto de ela me estar sempre a mandar links com a música, colocar a música a tocar quando apareço na sala dela e começar a tocar na rádio quando vamos as 2 no carro também não ajuda em nada)

:(

Estou outra vez sem pio! :(

quarta-feira, 13 de março de 2013

segunda-feira, 11 de março de 2013

Saudades


Tenho saudades do tempo que (ainda) não vivi.
Tenho saudades dos lábios que (ainda) não beijei.
Tenho saudades dos dedos que (ainda) não me tocaram.

Tenho saudades dos olhos que já olhei.
Tenho saudades da voz que já ouvi.
Tenho saudades de estares próximo.

Tenho saudades de ti!

Atenção!

Pelos vistos houve quem achasse do meu texto relativo à "batalha inglória" que eu estaria com uma visão redutora.

Quero que percebam que eu não advogo que só devemos "viajar sozinhos". Simplesmente acho que essa também deve ser uma opção e que não nos devemos restringir apenas porque não temos companhia.

O resto cada um faz o que entende! E somos todos amigos na mesma.... (aliás, tenho a dizer que isto gerou uma discussão extremamente saudável portanto já serviu o seu propósito)

domingo, 10 de março de 2013

Dizes-te insegura. Falas em medo de que vá, em pânico de que te abandone. Perdes a felicidade em instantes de loucura que dói, em sustos que nem sequer o são. E cavas onde não é bom cavar, onde só dói cavar. Amo-te para além de qualquer zanga, para além de qualquer desentendimento. Amo-te para além, até, das palavras que doem que saem quando tudo dói. Amo-te para além do que nos separa. E é isso, sobretudo isso, que nos une. E tudo o que te peço, meu amor, é para não me abandonares. É tudo o que é preciso para nunca me perderes.

Pedro Chagas Freitas
Fábrica de Escrita

Batalha inglória

Neste momento encontro-me numa batalha inglória.

Tenho tido uma determinada conversa com várias pessoas. O mais engraçado é que não sou eu que puxo esse tema. São os outros que não se conhecendo entre si me vêm falar sobre exactamente o mesmo assunto: "viajar sozinho(a) não. fica a faltar qualquer coisa."

A faltar qualquer coisa? Mas qualquer coisa o quê?

Já pensaram o quanto a sociedade nos incute que temos de estar sempre acompanhados e a partilhar as experiências que vivemos? Já pensaram o quanto isso não tem de ser assim?
Também não temos de ser lobos solitários que se enfiam numa toca e nunca mais de lá saem. Isso não é de todo a minha perspectiva.
A minha perspectiva é que de facto não nos devemos restringir simplesmente porque não temos companhia para fazer o que nos apetece.

Sim, eu fui a Barcelona sozinha e adorei a experiência. E não, não me "faltou qualquer coisa". Fiz tudo o que faria se estivesse acompanhada e, se calhar, até fiz coisas  que não iria fazer se estivesse acompanhada porque a companhia podia não querer.

Eu bem tento transmitir aos outros o bem que essa viagem me fez e como me abriu os olhos para a noção de que não preciso de alguém com quem partilhar experiências para que elas sejam completas.

Por isso me sinto numa batalha inglória. Sinto-me incompreendida e ontem cheguei mesmo a baixar os braços. Não sei que mais dizer ou fazer para que percebam o que quero dizer...

sexta-feira, 8 de março de 2013

Considerações quanto às minhas capacidades vocais

Ora então, a Celeste já enviou os vídeos referentes ao 1º solo que apresentamos na aula. E depois de os ver qual a minha opinião?

Gostei!!!! Uau! Como é que gostei?
É certo que a música ainda está muito verde, precisa de muito trabalho. Mas eu gostei de me ouvir. Não achei a minha voz completamente sem graça como é habitual. E nota-se bem a diferença do 1º para o 2º vídeo. Onde a única diferença são as dicas mais básicas da Celeste.

UAU! Ainda estou de boca aberta com a minha própria opinião!

quinta-feira, 7 de março de 2013

Das saudades

Tenho saudades de quando o Pedro pegava em mim ao colo e eu ficava com uma visão bem diferente do habitual das barraquinhas da Queima.

Tenho saudades de quando a Joana tinha uns miminhos para a "madrinha", mesmo que fosse só um beijo e um abraço especial.

Tenho saudades de lhes traçar a capa pela 1ª vez durante a sua 1ª Serenata (que ainda era na Sé).

Tenho saudades de os encontrar no corredor e fazermos uma festa simplesmente porque nos estavamos a ver.

Tenho saudades da minha última Serenata (que já não foi na Sé) e de me agarrar ao Pedro a chorar (será que já estava meia tocada e não  me lembro?)

Tenho saudades de cartolar o Pedro. (Joana porque é que não me disseste nada quando foste tu?)

Tenho saudades dos jantares (ou foi mesmo só 1?) que fizemos já depois de termos acabado o curso.

Do peso ou da falta dele

Durante a hora de almoço chamei uma colega de trabalho para ver uma coisa no meu computador.

Na parede ao lado do computador, tenho uma foto que foi tirada há pouco mais de 2 anos quando mudei de local de trabalho.
A minha colega apenas apontou para o meu eu anterior e olhou para mim. Não foi preciso mais para eu perceber o que ela queria dizer.

Neste momento estou muito diferente daquela pessoa que está representada nessa foto. Tenho menos uma série de quilos (nem vou dizer quantos) e o rosto está diferente. Ás vezes olho para fotos dessa altura e anteriores e eu própria não me reconheço.

Em 1º lugar, como foi possivel eu chegar àquele ponto? Estava com um peso exagerado para a minha estrutura física e tinha noção disso. Tentava emagrecer e nada parecia fazer efeito.
Em 2º lugar, como é que cheguei ao ponto em que estou agora? Este ponto eu sei como foi e não me orgulho absolutamente nada.... Nervos, muitos nervos. Que ainda por cima vieram acompanhados com uma falta de apetite tal que eu quase que me obrigava a comer 2 folhas de alface e ficava cheia. Fui combatendo isso conforme pude porque sabia que tal não era saudável.

Neste momento o meu desejo relativamente a essa questão é: tentar engordar 1/2 quilos para ficar no meu peso ideal e ficar por aí! Sim, porque também tenho consciência que agora estou demasiado magra para o meu eu "normal" e isso não é o desejável.

Lambarices


Nos próximos dias não poderei comê-lo (graças ao meu estômago fraquinho) mas já está guardado na minha gaveta da secretária reservada a estas coisas.

Faculdade

E agora, à conta da imagem abaixo, bateu-me uma nostalgia da Faculdade.
Principalmente dos meus 2 afilhados de praxe. Da relação que tinha com eles e que, com a distância, se perdeu.
Do quanto eu gostava dos 2 e do carinho que ambos me demonstravam.
Por isso agora olhem... estou práqui a pensar em coisas que já se passaram há mais de 9 anos e das quais tenho tantas saudades!

(pronto, não tenho saudades da vez que o Pedro achou que era giro surpreender-me com cócegas em plena biblioteca e eu dei um berro tal que toda a gente ficou a olhar para mim)

Ahahahah


Só quem já me fez cócegas sabe o quanto isto é verdade para a minha pessoa.... principalmente lesões nos tímpanos!

(e isso já me aconteceu numa biblioteca.... não, não foi bonito)

Trabalho

E chegar ao trabalho e ter 2 berbicachos urgentes em cima da mesa para dar resposta?
Sendo assim, o trabalho que tinha planeado para hoje vai por água abaixo.

Story of my life!

quarta-feira, 6 de março de 2013

Definitivamente...

Definitivamente há algo de muito errado comigo.

Não que não me sinta bem... porque sinto!
Não que não me faça rodear pelas pessoas certas.... porque faço!
Não que queira mudar algo na minha vida.... porque não quero!

Estou a seguir em frente e para a frente é que é o caminho.
Mas há coisas que precisava de admitir sobre mim própria, sobre o estado em que me encontro... e que não consigo fazer! Falo com 1001 pessoas que me dizem isso e no fim perguntam "mas admites?" e a resposta é sempre a mesma "NÃO".

Sinto que tenho dado passinhos de bebé na direcção certa mas.... falta aquele empurrão! Um empurrão que só uma pessoa pode dar e, no fundo, eu sei que essa pessoa não me pode dar empurrão nenhum.
E enquanto isso vou fazendo merda atrás de merda porque não me consigo conter em determinadas situações.
No fim, olho para trás e fico estúpida comigo mesma. "Mas eu fiz isto? Porquê? Mas é possível ser mais burra?"

Já ganhava um bocadinho de juízo, não?

Ai!

Qualquer dia dá-me o fanico e privatizo aqui o tasco!

Então o pessoal vem cá visitar mas comentar é que não? O que escrevo é assim tão mau?

Oh pá! É que se é assim deixo de escrever de forma pública... pelo menos ficam livres de ler as minhas barbaridades.

terça-feira, 5 de março de 2013

BOA companhia

Estou numa altura da minha vida em que não me contento com companhia +/-, aquele tipo de companhia que não aquece nem arrefece.

Não!
As pessoas com quem estou têm de me mexer cá dentro. Têm de ser pessoas com quem quero estar por todos os motivos e mais alguns. Têm de ser aquelas pessoas com quem falo e falo e falo e mesmo assim a conversa parece não acabar. Acabamos a despedir-nos apenas e só porque já passa da hora aceitável para o fazermos.

Graças a Deus tenho muitas pessoas com quem tenho esse sentimento por isso preencher a minha vida com boa companhia não é muito dificil!

Depois também temos aquelas pessoas de quem gosto da companhia e que só sabem recusar convites! Buuuuuuu para essas pessoas! :P

According to your profile you don't want to change because you're soooo perfect.

Well, let me give you a reality check.

You are a FUCKING ASSHOLE who destroys other people lifes.
Never forget that... because I won't!

Em modo serviço público de divulgação de cultura #15

A Fundação de Serralves está a promover um Ciclo denominado "O Sabor do cinema". É aos domingos à tarde e a entrada é gratuita.

Compreensão lenta, lentinha....

Há coisas que acho que não consigo compreender... ou melhor, até consigo mas têm de andar aqui a passear-me no cérebro durante dias e dias.

No sábado passado fui fazer uma das minhas actividades culturais habituais ao fim de semana. Encontrei várias pessoas conhecidas (a amiga que estava comigo a certa altura só me disse: mas tu conheces toda a gente?) e recebi vários elogios.
Mas um deles só consigo compreender hoje! Sim, só passado 3 dias de o ter recebido é que o consegui assimilar e compreender.

Ora então, encontrei uma colega do laboratório de canto.
Sendo que na sessão passada "apresentei" uma música a solo, no sábado a minha colega disse-me algo do género:
"Na 5ª correu super bem! A música fica-te muito bem. Que vozeirão!"

Pois... que vozeirão? Eu? Não..........
Basicamente acho que isto ficou lá no fundo da minha consciência a bailar.
Acho que já o disse por aqui..... neste momento até posso cantar +/- afinado mas não acho que a minha voz tenha alguma caracteristica particular que a torne bonita. Acho-a muito normal.
Por isso, de repente perceber que alguém pensa e me disse isto é assim meio esquisito. Claro que neste momento já assimilei o elogio e estou em pulgas para ver o video que a Celeste fez da minha prestação (andamos a gravar para conseguirmos ver os erros que cometemos e melhorarmos!).
Depois eu anunciarei a minha própria opinião sobre o assunto!

Da minha banda sonora #5

sexta-feira, 1 de março de 2013

Escrever?


Mas de onde vem esta necessidade de escrever que me assalta quase diariamente?

Muita gente me diz que estou apaixonada e que é esse o meu motor na escrita.
Lamento desiludir-vos mas não é!
Quando o que escrevo deixa nas entrelinhas uma outra pessoa que não eu, é alguém em abstracto... alguém de quem sinto que preciso mas que ainda não concretizei quem é efectivamente. Alguém que ainda não estou preparada para concretizar. Mas gosto deste sentimento de procura incessante! :)

Mais uma vez refiro que, neste momento, a minha paixão centra-se em mim e na minha própria vida. Porque essa sim é para cima de espetacular! E claro que tenho consciência que não vai ser sempre assim.... mas pelo menos enquanto for quero desfrutar de tudo o que me rodeia ao máximo!

Talvez até essa seja a resposta ao "alguém não concretizado"... talvez esse alguém seja apenas e somente eu mesma. Sem precisar de encontrar externamente aquilo que preciso para me completar e ir mais além.
Até porque acho que já provei a mim mesma e a quem me rodeia que não preciso de ter alguém ao meu lado para "ir mais além". Sozinha consigo chegar lá sem qualquer tipo de impedimento e sem constrangimentos.

Claro que por vezes também me apetece estar acompanhada (por exemplo, hoje apetecia-me ir fazer uma coisa mas acompanhada. como não arranjei quem me acompanhasse, fico mesmo por casa) e aí o importante é mesmo ter BOA companhia... não me fazer rodear pelas pessoas +/-.
Mas essa questão provavelmente será abordada noutro texto. :)

Blogosfera

A fazer a ronda habitual na blogosfera apercebo-me que o pessoal fartou-se de publicar imagens de "cumprimento" ao mês de Março.

O meu sentimento neste momento é: WTF???? Já é Março????

A sério?


Eu se não existisse tinha de ser inventada! Mesmo!

Por isso olhem.... parabéns aos meus ricos paizinhos que me inventaram primeiro!