quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Discussão do dia!

Em conversa com a J., qualquer coisa deste género:

- Eu é que sou maluca! Não me queiras roubar o título.
- Não, não eu é que sou!

Oh pá! E chegarmos à conclusão que somos as duas maluquitas e pronto?
Até podemos ser completamente tolas, mas pelo menos somos felizes por isso deixa lá isso minha querida!

Da minha banda sonora #3

Eu já estive lá!

Palácio da Cultura em Varsóvia

É um edificio imponente.
É um edificio que se destaca no meio da cidade, principalmente no sitio onde se encontra.
Sim, fiquei perfeitamente consciente que os polacos não gostam do edificio. Aliás falava-se que o queriam destruir.
Mas sinceramente não consigo compreender esse ódio ao edificio. Provavelmente teria de ser polaca e vivenciar a história cultural da Polónia.

No fundo, para mim enquanto turista naquele país, é um edificio bonito e que se destaca de tudo o que está à sua volta. E espero mesmo que os polacos não levem a deles àvante.

Cansei!

Cansei de andar com a roupa a cair por mim abaixo só porque tenho receio de tornar a engordar.
Vou pedir ao meu Pai para me apertar tudo..... se engordar novamente sempre é uma desculpa para comprar roupa nova!

Da minha banda sonora #2

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Hummmmmm

Já disse o quanto gosto das várias pessoas que conheci no laboratório de canto? Como me sinto acarinhada por todos sem excepção?

Desde se disponibilizarem para nos darem o seu esforço sem recompensa monetária, às conversas sobre tudo e mais alguma coisa, às sugestões de actividades que de outra forma não teria conhecimento, etc., etc.

Temos de tudo e mais alguma coisa..... e eu adoro estas novas pessoas na minha vida! (não desfazendo das que já cá andam há mais tempo)

Velha muito velha! :P

Fica frio e eu não posso com dores no meu joelho!!!!! Raios partam a idade e as lesões que acumulamos.

(se o meu fisioterapeuta soubesse dava-me um raspanete tão grande por ainda não ter ido à clinica)

Está quase decidido!

Vou passar uns dias à Nazaré na altura dos meus anos.
Quantos dias? Ainda não sei.... depende da despesa que vou fazer nas minhas férias nas Caraíbas!

Da minha banda sonora #1

(achei que era melhor inventar um nome de rubrica para quando partilho a música que me entra nos ouvidos e, por vezes, me sai das cordas vocais)

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Entras-me no sonhos by Pipoca dos Saltos Altos

Entras-me nos sonhos sem pedir licença. Ficas alí uns instantes. Sorriso perfeito, olhos penetrantes. Ficas a sorrir para mim. Nunca me consigo lembrar da história. Há apenas uma passagem que se repete, e repete, e repete a cada vez que ousas entrar-me nos sonhos. A marca dos meus pés, nus e frios, no capô, quente, do teu carro.

Até quando?

Até quando tenho de guardar este sentimento bom dentro de mim?

Porque não o posso gritar ao mundo?
Porque não posso dizer que as borboletas que me assaltam são tuas e que te quero ao meu lado (mesmo que seja só por alguns instantes)?
Não precisamos de trocar juras de amor eterno... apenas temos de ceder aos nossos próprios impulsos e deixar acontecer o que tiver de acontecer. Só assim, com naturalidade e sem barreiras intransponíveis.

De que importa de que cores te "pintas" ou de que cores eu própria me "pinto"?
De que importa se eu estou "aqui" e tu "além"?

Para mim, o importante é querermo-nos mutuamente e intensamente... e se é assim porque resistimos?
Porque a sociedade nos diz "não"?
Mas o que é que a sociedade sabe de nós e do que precisamos?

E neste momento eu preciso de ti.
Preciso beber intensamente as tuas palavras, preciso do teu carinho, preciso de saber que estás lá quando eu preciso.
Preciso que me oiças e me ampares.
Preciso ver o teu sorriso genuíno e preciso que também queira ver o meu!

Preciso de ti!

E nada tem de acontecer mas eu preciso de ti!

Reflexão

"A cada dia que vivo,
mais me convenço de que
o desperdício da vida
está no amor que não damos,
nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca,
e que, esquivando-nos do sofrimento,
perdemos também a felicidade."

Carlos Drummond


No fim de semana passado, em conversa com uma amiga, ela confessava a sua admiração pelo facto de eu não me ter fechado para o mundo depois de tudo o que vivi.
Basicamente ela tem medo de sofrer e ao verificar o quanto eu sofri e mesmo assim me reergui das cinzas, acabou por demonstrar a sua admiração.

Agora, se eu me sinto digna de tal admiração? Não, não sinto.
Sinto-me uma pessoa normalissima que se deparou com uma situação extrema e arranjou forças para sair dela. Apenas e só!

Se fui feliz? Fui... algures num tempo que, neste momento, me parece muito distante.

Se vou ser feliz novamente? Já o sou e mais do que alguma vez fui! Por isso o sofrimento que vivenciei valeu a pena não pela felicidade do passado mas pela do presente e do futuro.

Por isso, hoje eu sou dona da minha própria felicidade e arrisco tudo o que tenho nela! :)
Arrisco todo o amor que dou, todas as forças que uso, todo o sofrimento a que não me esquivo.
Pura e simplesmente vivo e divirto-me imenso a viver!

Tenho confiança suficiente em mim para ser atendida na caixa de uma loja de roupa por um rapazito engraçado, musculado e cheio de tatuagens. Durante o tempo que estou a ser atendida, observá-lo mesmo à descarada e quando me apercebo está ele a tremer que nem varas verdes. Escusado será dizer que saí da loja divertidissima, o rapaz é que não deve ter achado muita piada.
Lá diversão não me falta nesta minha vida! :D

Tenho andado a dormir tão bem!

Mas já me calava para não agoirar, não era?

Ou não tivesse eu a mania que sei fazer tudo!

Ontem "carreguei" uma caixa do meu carro até casa. Segundo as indicações que vêm no exterior da caixa, a mesma pesa 45 kg (ou seja, quase tanto como eu!).

Hoje vou começar a montar o grande puzzle que se encontra dentro dessa caixa.
Vamos ver como me vou desenrascar!

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

A mim arrancou-me uma gargalhada!

E, a ser realista, a moça até podia bater à porta do Nelson Évora. Podia. Mas há imagens que correram mundo de Nelson Évora em calções de lycra. E se ela lá vai bater à porta, não há-de ser para lhe comer o Kinder Bueno. Ai não há-de não.

:D :D :D :D :D

Animais

Antes de escrever o que quero tenho de fazer duas notas introdutórias:

1º Apenas quem me conhece na minha fase pré-Gaby, sabe o quanto eu tinha medo de animais. Nunca lhes fiz mal, nunca lhes desejei mal.... simplesmente tinha medo! Eu atribuo isso ao facto de ter sido mordida por um gato na casa da minha avó (facto que a minha mãe nega veemente mas que eu recordo muito bem...).

2º Neste momento moro a 15 minutos a pé do meu local de trabalho pelo que a maior parte do dias vou mesmo a pé!

E acabando as notas introdutórias posso iniciar o meu testemunho de hoje!

Hoje, na minha caminhada de regresso a casa, vi mais uma vez algo que me deixa muito triste.

Já por várias vezes passei ao lado de uma varanda com um cão pequeno em cima do parapeito. Tal facto não seria nada de especial não fosse o cão estar completamente fechado na varanda. A persiana da mesma está fechada como eu nunca fecho as minhas... até ao fundo mesmo! O cão é relativamente pequeno e não estou a falar de um parapeito propriamente baixinho. Se for como o de minha casa (e acredito que seja muito semelhante) deve ter cerca de 1metro de altura. O cão coloca-se num pequeno espaço (nem quero imaginar as vezes que ele não deve ter caído a tentar colocar-se naquela posição) a olhar para o movimento da rua. Não ladra a quem passa nem aos carros... está simplesmente a observar.

Mas afinal porque é que isto me choca? Porque aquele cão está exposto às condições climatéricas pelo menos das 9h00 às 18h00 e acreditem que está um frio desgraçado! Esta situação passa-se a uns metros de minha casa e hoje quando passei lá (mesmo com a caminhada) eu vinha com frio por isso só posso imaginar o pobre do bichinho ali parado um dia inteiro.
E estas coisas pura e simplesmente deixam-me triste!
Sim, o bichinho tem dono. Não, não me parece maltratado ou subnutrido. Mas como é que alguém que goste daquele animal é capaz de o deixar assim um dia inteiro???Dias a fio???? Eu não seria capaz!

Nestas altura só consigo pensar na "minha" (bem, tenho mesmo de mentalizar que a cadela nunca foi minha) Gaby.... na sorte que a "minha" bichinha tem e como há tantos animais que, mesmo tendo donos que tratam bem deles, depois fazem estas coisas estúpidas!
Mesmo eu que, como disse no inicio, tinha medo de animais... nunca me passaria pela cabeça fazer tal a um animal.

E agora perguntam vocês... e tu vais fazer o quê em relação a isso? 
Pois, nada! Não me vou meter na vida privada de quem não conheço...

E acrescentam.... Pois, pois, escreves isso mas não és capaz de adoptar um animal.
Têm toda a razão.... neste momento ainda não me sinto com disponibilidade para adoptar um animal. Passo muito pouco tempo em casa e não sinto que seja a altura adequada para o fazer. Mas podem ter a certeza que vou fazê-lo!
Tenho muitas saudades da Gaby e quero manter o contacto próximo com os animais. Pelo menos esses não me desiludem!

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Considerações de um domingo caseiro:

* estou completamente viciada no Spotify, liguei quando acordei e passei o dia com a aplicação a bombar as minhas escolhas musicais.

* o filme Amour é breathtaking!
Um filme que deixa um nó na garganta... simplesmente porque sei que amores assim já não existem portanto tenho plena consciência que nunca viverei aquele sentimento de entrega absoluta a outro ser humano. Ainda assim tenho a felicidade de poder assistir a um amor semelhante àquele (que graças a Deus ainda não se deparou com tamanhas dificuldades): o dos meus Pais!

* preciso da ajuda urgente de alguém com ouvido musical.... estou a cantar as músicas todas abaixo do tom e vou levar das orelhas da Celeste!

Aaaaaaaaahhhhhhhh

Sair ao sábado à noite e ter um boost no ego é qualquer coisa de priceless! :)

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Ocupas-me. Incapacitas-me de mim. A tua voz no meu ouvido. Faltas-me.

Não recordo o que não se sente. Olhei-te a sair. A porta bateu, as costas viraram. Mas não recordo o que não se sente. Acabar um amor é acabar quem ama. Um amor não acaba. Um amor acabado é um coma estático. Anos a fio a tentar enganar a vida. Anos a fio a tentar enganar a morte. Deixar de amar é um instante de ilusão. É o teu corpo que, todos os dias, a sós na escuridão do quarto, continuo a amar. Nem que seja outra mulher, nem que seja outro suor. É o teu corpo que, todos os dias, a sós na escuridão do quarto, continuo a amar. A sombra dos teus olhos. Como se me soubesses por detrás da pele. Sabes-me.

Sou-te. A geometria perfeita das tuas sobrancelhas. Como se te quisessem proteger do que vês. Dependo-te.

Abandonar quem nos ama é a melhor forma de eternizar um amor.

Pedro Chagas Freitas
Fábrica de Escrita

Coisas que não percebo

Como é que facilmente (à borla) se encontra a pauta de uma música muito recente e de uma cantora ainda no "activo".... mas não se encontra (sem ser a pagar) a pauta de uma música de meados do século passado?

A música mais recente já não está sujeita aos direitos de autor enquanto a mais antiga ainda está?
Não percebo nada disto........

Editado - houve uma alma generosa que me disponibilizou a pauta! muito muito obrigada! :D

Contagem decrescente


Ansiosamente à espera do fim-de-semana!


Ahahahahahahha!

Confirmo.... é mais ou menos isto!


quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

No meio disto tudo também há coisas que não me agradam

Olhar para a minha imagem refletida no espelho e achar que as minhas pernas mais parecem palitos do que as pernas que conheço como minhas, é mesmo algo que não me agrada.

Depois deste pensamento... só penso de mim para mim: "Ok, podes estar menos "cheia" mas isto também é o efeito de estares vestida com collants pretos opacos".

E pronto, tenho mesmo de começar a procurar opções para ginásio.... A ver se ganho massa muscular nas pernas que a coisa está a ficar preocupante.

Cores

Mais coisas que me disseram ontem:

"Sofia, há uns meses tinhas cores mas eram tão ténues... tão transparentes! Agora parece que pegaste num pincel e te pintaste com cores garridas e brilhantes! És um verdadeiro arco-íris!"


I'm in love!

Alguém ontem disse-me:

"Sofia, estás apaixonada por ti própria!"

Yep my friend! Descobriste a pólvora! :D

E sendo assim... de mim para mim, dedico esta música!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Amor-próprio

Faz-me muita confusão olhar para trás e verificar que não tinha amor-próprio. Que deixei que me pisassem e repisassem.
Vou buscar coisas nas profundezas da minha história de vida e verifico que eu é que tentava dinamizar a "nossa" vida... eu é que sugeria viagens, passeios, programas culturais.
Mas no fim eu é que fui acusada de não ser interessante. Foi assim mesmo que as coisas me foram colocadas: "Tu não és interessante!"

Pudera amigo! Tu cortaste-me as pernas a cada programa que recusaste... a cada fim-de-semana que "tinhas trabalho" e não podias fazer nada mais a não ser ficar sentado em frente ao computador. Mesmo depois de eu chorar à tua frente e te implorar para termos uma vida de convivência normal (burra, burra. burra).

E eu? Eu mirrei... o pouco amor-próprio que tinha foi-se!

E hoje, altura em o meu amor-próprio cresceu como nunca, olho para essa altura da minha vida e não consigo compreender como deixei que tal acontecesse.

Por isso, também me mete muita confusão verificar que tenho pessoas à minha volta que também não têm amor-próprio. Que se estão a deixar pisar por quem não as merece. E se por um lado compreendo a situação, não consigo deixar de pensar o quanto isso me mete confusão.
Só dá vontade de chegar à beira dessas pessoas e dar-lhes um abanão.
O grande problema é que tenho plena consciência de que isso não adiantaria de nada.... cada um vê o que quer ver quando quer ver!

Raios!

(para não dizer coisa pior!)

Um ano e três meses depois de ter comprado o meu adorado automóvel, raspei com ele na porta da garagem!

Bela forma de começar o dia.... NOT!!!!

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Mais Fernando Pessoa

Ai que prazer
Não cumprir um dever,
Ter um livro para ler
E não o fazer!
Ler é maçada,
...Estudar é nada.
O sol doira
Sem literatura.
O rio corre, bem ou mal,
Sem edição original.
E a brisa, essa,
De tão naturalmente matinal,
Como tem tempo não tem pressa...

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto é melhor, quanto há bruma,
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol, que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

O mais que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças
Nem consta que tivesse biblioteca...

I could stay awake just to hear you breathing

whenever I'm alone with you

Tenho de partilhar!

Acabaram de me dizer:

"vive a vida sem pensares tanto no futuro!"

Gostei!

Passado? Sim, passado! :)

Há pouco lembrei-me de fazer algo que já não fazia praí desde o inicio deste ano. Deixei de sentir necessidade de o fazer. Hoje foi mera curiosidade para ver o que aquela gentinha anda a tramar.

Apercebi-me que as coisas estão diferentes. Já não consigo fazer o que queria.
Se isso me incomodou? Claro! Preferia saber que aquilo estava lá para sempre, para eu consultar quando bem me apetecesse.
Mas se mexeu com o fundo do meu ser, como mexeria há uns meses? Não! Aquilo é mesmo gentinha reles que não interessa a ninguém e é para manter quietinha no passado (também não ia cutucar como nunca o fiz).

Há coisas que servem o seu propósito na altura certa. E nesta situação em concreto foi exactamente isso que aconteceu! Mal sabe a pessoa em questão o bem que fez com as suas acções não deliberadas (porque com as acções deliberadas tenho a dizer que só soube fazer merda).

A juntar às coisas que me fazem sentir velha.

A minha sobrinha termina a licenciatura este ano lectivo. E eu lembro-me perfeitamente do dia em que ela nasceu.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Cartas de amor


    Todas as cartas de amor são
    Ridículas.
    Não seriam cartas de amor se não fossem
    Ridículas.

    Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
    Como as outras,
    Ridículas.

    As cartas de amor, se há amor,
    Têm de ser
    Ridículas.

    Mas, afinal,
    Só as criaturas que nunca escreveram
    Cartas de amor
    É que são
    Ridículas.

    Quem me dera no tempo em que escrevia
    Sem dar por isso
    Cartas de amor
    Ridículas.

    A verdade é que hoje
    As minhas memórias
    Dessas cartas de amor
    É que são
    Ridículas.

    (Todas as palavras esdrúxulas,
    Como os sentimentos esdrúxulos,
    São naturalmente
    Ridículas.)


    Álvaro de Campos, 21-10-1935

Disponibilidade emocional.... ou não?

E acontecerem várias coisas na tua vida que te levam a perceber que não estás emocionalmente disponivel para ninguém a não ser para ti mesma?
E perceberes que apenas e só estás a acumular amigos de quem gostas muito.... como amigos. Mesmo com as borboletas que sentes na barriga (e que te fazem sentir tão bem).
E gostares muito da tua liberdade e não quereres que te imponham situações (constrangedoras).
E chegares à conclusão que gostas da atenção (controlada e não exagerada) dos outros e que também gostas de dar esse tipo de atenção aos outros.

Pois.....

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013


Não gosto de saber que os que me rodeiam ficaram "sem chão". Parece que eu própria fico "sem chão".

Agora é colocar um sorriso nos lábios e tentar ajudar um bocadinho. Pode não ser o suficiente mas pelo menos vou tentar!

Coisas que te fazem sentir velha

1º Tens de fazer a análise de um AT de um rapaz que nasceu 12 anos depois de ti.... e quando vais a ver o rapaz já trabalha há alguns aninhos. Só pensas: "Oh Meu Deus!".

2º Percebes que pessoas que te lembras de serem bebés já são homens feitos e têm vidas completamente constituidas. Mas como é que isso me passou ao lado?

(PS que não tem nada a ver com o conteúdo do post... hoje estou a cair para o lado de sono, MESMO!)

Em modo serviço público de divulgação de cultura #14

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Dia dos namorados?

Ainda vou a tempo???

Bem, hoje foi dia de não parar..... Enfim!

Quero dedicar esta música a quem comemora este dia. Beijinhos a todos vocês! :)


(a escolha desta música é uma "private joke" que só 4 pessoas compreendem... sendo que dessas 4, apenas 1 deverá ler este post)

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Anseio


Anseio pelo dia em que me tocas com as tuas mãos frias. Imagino os teus dedos percorrerem o meu corpo quente e tenho arrepios. Provocas-me mas não cumpres.
Consegues imaginar a sensação de insatisfação que me deixas no corpo?

Procuro-te mas não estás lá.
Procuro-te porque te quero... mas deixas-me no suspense.
Suspense que dura minutos, horas, dias, semanas,.... e não há forma de te decidires. Não há forma de me dizeres que também me queres.

Procuro-te porque te quero!
Quero os teus lábios nos meus, quero o teu respirar na minha pele, quero os teus dedos no meu corpo, quero o teu olhar a perfurar o meu,...

Quero cada centímetro do teu corpo. Quero-te fora de preconceitos e sem pressas. Quero-te só para mim.

Anseio pelo dia em que dirás que também me queres e espero que ele não esteja num futuro demasiado longínquo.

Hoje ouve-se



Andava este album aqui perdido no meio dos outros... se calhar já tinha ouvido mas sinceramente não me lembro.

Whaty?

Acabei de receber as sugestões da Celeste para eu escolher uma e apresentar na sessão do laboratório.

E agora??? São todas giras e dificeis.....Oh vida ingrata! :P

O que fazer?

O que fazer quando os phones avariam de vez (sim porque meios avariados já eles andavam há muuuuuiiiiiito tempo) e queres mesmo ouvir música sem chatear ninguém?

Lembraste que o telemóvel de serviço devia vir com um auricular que se calhar até serve para o efeito. Abres a caixa do telemóvel (que está intacta, menos o telemóvel como é óbvio) e experimentas o auricular na ligação do computador...

E BUM! Tens o problema resolvido! :)

Solidão

Estar só não significa sofrer de solidão.
Bem como, sofrer de solidão não significa estar só.

Eu sou o exemplo vivo disso.

Há um ano atrás estava acompanhada.... mas sofria de solidão. Sofria muito.
Hoje estou só... mas solidão é algo que não me assiste. Estou rodeada por pessoas que gostam de mim e me mimam. É bom escrever coisas, lançá-las na net e passado uns minutos receber um telefonema de alguém a dizer "vi o que escreveste e é para te dar um beijinho".

Há pouco tempo fiz um comentário num post (sobre maturidade e solidão) de um blog que sigo.
Nesse comentário falei sobre o quão horrivel foi o meu último dia de aniversário.
E foi horrivel porquê? Porque passei-o a fazer exames médicos já que havia a suspeita de algo estar muito errado com a minha saúde. Porque passei-o sozinha e sem o apoio de quem mais queria ao meu lado. Porque sofria, sofria muito e não deixava que os meus amigos se aproximassem... porque eles não podiam saber que eu sofria mas no fundo sabiam!

Por isso não.... não tenho medo da solidão! Porque já sofri de solidão e como se costuma dizer "been there, done that".
E uma coisa é certa... posso ficar "só" durante o resto da vida mas nunca mais vou sofrer de solidão.

Agora sabem do que tenho medo no meio de isto tudo? De pessoas mal intencionadas! Essas sim é que me assustam... e espero nunca mais me cruzar com nenhuma assim. Infelizmente sobre isso tenho um controlo  muito relativo.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Holly Sh*t!

Não fazia ideia que o Conservatório de Música do Porto promovia cursos livres de teatro.

Ora bem, então agora é ficar atenta para saber quando é que são as próximas inscrições! :D

Da música de hoje

Andamos bonitas, andamos!

Eu falo com a J. e ela diz-me "não penses"!

A J. fala comigo e eu digo-lhe "não penses"!

Diz o roto ao nu, porque não te vestes tu?

E andamos assim por estas bandas.

Sono

Muito sono!

Mas quem me manda a mim ter insónias????

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Bernardo Soares in Livro do Desassossego

Os sentimentos que mais doem, as emoções que mais pungem, são os que são absurdos - a ânsia de coisas impossíveis, precisamente porque são impossíveis, a saudade do que nunca houve, o desejo do que poderia ter sido, a mágoa de não ser outro, a insatisfação da existência do mundo.
Todos estes meios tons da consciência da alma criam em nós uma paisagem dolorida, um eterno sol-pôr do que somos. 

(...) Nestas horas de mágoa subtil, torna-se-nos impossível, até em sonho, ser amante, ser herói, ser feliz. Tudo isso está vazio, até na ideia do que é. Tudo isso está dito em outra linguagem, para nós incompreensível, meros sons de sílabas sem forma no entendimento. A vida é oca, a alma é oca, o mundo é oco. Todos os deuses morrem de uma morte maior que a morte. Tudo está mais vazio que o vácuo. E tudo um caos de coisas nenhumas.

Se penso isto e olho, para ver se a realidade me mata a sede, vejo casas inexpressivas, caras inexpressivas, gestos inexpressivos. Pedras, corpos, ideias - está tudo morto. Todos os movimentos são paragens, a mesma paragem todos eles. Nada me diz nada. Nada me é conhecido, não porque o estranhe mas porque não sei o que é. Perdeu-se o mundo. E no fundo da minha alma - como única realidade deste momento - há uma mágoa intensa e invisível, uma tristeza como o som de quem chora num quarto escuro.

Fábrica de Escrita

Perita!

Sou perita a "cortar as pernas" a quem tem intenção de me fazer convites.
E se às vezes consigo aperceber-me a tempo e pergunto "mas ias fazer-me um convite? porque não disseste logo?"
Também tenho situações em que só me apercebo quando já não vou a tempo... ou então não me apercebo de todo! :P

Por isso, se têm algum convite para me fazer, sejam directos! Não andem a sondar porque de certeza que vão ficar com a sensação de que eu poderia não aceitar... e nem sempre isso é bem assim!
Podem ter a certeza que se eu não estiver interessada (ou não puder) vou negar. Por isso arrisquem!
O pior que vos pode acontecer é receberem um não.... mas isso é assim tão mau comparado com ficarem com as palavras entaladas na garganta?

E agora?

De repente apetecia-me sair... ir "desbundar" logo à noite. Mesmo tendo de vir trabalhar amanhã de manhã.

Devem ser os efeitos de ter tido um fim-de-semana mais reservado. Uma pessoa habitua-se a ter sempre programa e depois dá nisto!

Enfim! Vou ter de me contentar em ficar em casa.... C'est la vie!

Em modo serviço público de divulgação de cultura #13

Optimus Primavera Sound 2013

O preço será mesmo aquele que vem indicado?!?!?!? Se é, é assim um bocadinho para o caro!

Em modo serviço público de divulgação de cultura #12

Eu gosto de camélias! :)

XVIII Exposição de Camélias do Porto

Alegria no trabalho

Eu sou passada e faço filmes e o diabo a 7!

Mas a J. é ainda mais que eu! E o que eu já me ri hoje à conta disso!
Boa disposição é mesmo essencial! :)

:)


Da banda sonora do (500) days of Summer.
Gosto do filme, gosto da banda sonora, gosto do Joseph Gordon-Levitt. :)

Química



Sim, sou a rapariga da química...
Da química teórica, da química em laboratório (ambiente controlado).

Passas a química para a vida real, onde as variáveis são milhentas e todas se modificam permanentemente e é verem-me a panicar!

Porquê? Porque sinto que não controlo a situação e isso deixa-me em pânico (vá só um bocadinho).

E é assim que eu estou agora....
Porque de um lado há química, mas eu não sei até que ponto é que essa química vai (quer dizer sei mas a minha parte... da outra parte não sei).
Porque do outro lado não há química. Quero dizer isso com todas as letras e não sai nada... acabo por ser simpática (porque também não vou ser antipática com quem não o merece) e ao mesmo tempo tenho receio que me interpretem mal...

Mas porque é que a química na vida real não é como a do laboratório? Seria tudo tão mais fácil!

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Arrependimento

Escrevo, publico.
Arrependo-me, vai para rascunho.

Pode ser que um dia volte a ter coragem de publicar.

Andava a evitar

mas esta passa tanta vez pela minha voz que tem mesmo que ser!


sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Dispensava bem este matraquear como música de fundo.....

Hoje é que deviam vir cá os chefes maiores!

Da hora de almoço

Mostrar os meus 2 minutos de "fama" a uma colega de trabalho e ouvir a seguinte pergunta:

"Então mas há quanto tempo é que tens aulas de canto?"

Responder:

"Bom, iniciei em Setembro e o recital foi antes do Natal."

Cara da colega........ :O

Amizade ↔ by Saltos Altos Vermelhos



Deve ser muito triste viver sem amigos mas aqueles mesmo verdadeiros, não me refiro aos de ocasião, aos colegas ou conhecidos. Amigos verdadeiros que nos compreendem, que partilham e estão lá "no matter what". Amigos daqueles que nos chateamos e fazemos as pazes (não é assim que funciona quando se gosta?)

Durante muito tempo afastei-me da maior parte dos meus amigos.
Afastei-me porque havia alguém que tinha sempre um comentário negativo a fazer sobre eles e eu não conseguia aguentar aquilo.
Com isto não estou a atribuir culpas a ninguém a não ser a mim mesma. Eu é que devia ter dado o "murro na mesa" quando isso começou a acontecer e não o fiz.
Ficaram poucos... muito poucos!

Entretanto essa influência negativa foi-se e os AMIGOS (aqueles mesmo verdadeiros) estão a voltar. Para além de que estou a fazer novas amizades que prezo muito!
Agora sei que há pessoas que gostam de mim, há pessoas que se preocupam com o meu bem-estar.... e isso é tão bom!
E essas serão as pessoas com quem me vou chatear e fazer as pazes mas que vão estar sempre lá para mim!

Por isso.... o meu muito obrigada aos meus amigos!

Qual a 1ª coisa a fazer quando se chega ao trabalho?

Ora numa 6ª-feira de manhã, após a 1ª sessão de laboratório de canto a seguir ao recital....
Pega-se no dvd que nos forneceram, coloca-se no leitor do computador e ouve-se o nosso pequeno contributo (2 minutos em 1 hora e 18 minutos).

Primeiro fico de boca aberta e depois com um sorriso nos lábios! Gosto mesmo desta minha nova faceta.... que estava lá só que eu ainda não a tinha visto.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

5ª-feira

E volto aos fins de tarde bem agradáveis de 5ª-feira.
Sim, hoje recomeça o laboratório de canto! :D

Gostos

Gosto do Verão. Gosto das roupas leves, descontraídas e coloridas. Gosto do calor. Gosto da disposição que o Verão nos dá. Gosto dos passeios à beira mar. Gosto das frutas do Verão. Gosto. Sempre gostei.

Mas agora descubro que também gosto do frio do Inverno (não da chuva). Gosto dos dias frios mas solarengos. Gosto de me vestir com cores garridas para deixar o cinzento apenas para o céu em dias de chuva. Gosto do pôr-do-sol no mar em dias frios. Gosto do chocolate quente olhando o mar revolto.


(pôr-do-sol em Leça... num dia frio. - foto da minha autoria)

Basicamente, gosto da minha vida e não tenho vergonha de o apregoar aos 7 ventos!

:)


Escusado será dizer que gosto....

Como começar bem o dia

Chegar ao trabalho e abrir o email.
Ver que tenho um mail intitulado "Miminhos para a tia!".
Abrir e ver as fotos do meu "sobrinho" que fez ontem 3 meses e está um homem!

Priceless! :D

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Em modo serviço público de divulgação de cultura #11

Carnaval no Palácio

Really?

Ó meu queridinho... vai ser assim giro lá longe! Assim fica difícil, muito difícil!

*shit*

ATENÇÂO, não me estou a queixar de estares perto... aliás gosto muito que estejas perto. só podias era ser um bocadinho menos giro só para eu não andar com pensamentos.... :P

Palavras. Gastas. by Pipoca dos Saltos Altos

(...) O meu amor está doente e tenho a tragédia ao peito. Culpa. Pesa-me a culpa. Culpada. Sou culpada. A tragédia não se escondeu, estava só à coca. Vi-a de início, iludida, pensava que a podia trapacear. Não me sabia o amor a doente. Iludi-me sozinha. Não tenho a quem culpar. Sou a única responsável pela tragédia que tenho ao peito, Acreditei no Amor e ele era ilusão. Tive fé. Não sei a que me agarrei. Fé. Vou chamar-lhe fé. Chamo fé ao que sei ser ilusão. (...)

Adolescência?

Dizia-me uma amiga um dia destes: "Voltaste à adolescência não foi?"

Pois... eu diria mais.
Neste momento estou a viver a adolescência que não vivi porque nunca me permiti... com a vantagem de ter a maturidade adquirida pela idade e pela experiência.

E é tão bom! Sentir-me frágil e poderosa... num misto de sentimentos inexplicável.
Olhar para o espelho e gostar do que vejo. Olhar para o lado e sentir borboletas. :)

Posso permanecer neste "estado" para sempre? :)

Férias


Verita, vamos já hoje? :)

Para começar o dia


terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Hummmm


Eu diria que os good guys nós queremos que estejam sempre por perto... por isso passamo-los para a friend zone.

Os bad guys... bom, esses são marotos por natureza (qualidade extremamente importante) por isso passam para o campo das possibilidades.
Se não der certo temos o ombro dos good guys para ir chorar.

É justo? Não, não é!
O grande problema é que não conseguimos evitá-lo.
E que me perdoem os good guys. Eu gostava de conseguir contornar isto mas...

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Surreal!

(imagem daqui)

Chego à noite de domingo e dou-me conta que o fim-de-semana já passou... amanhã de manhã bem cedo tenho de estar a trabalhar e sinceramente precisava de descansar deste fim-de-semana agitado.

Mas afinal porque dei o título "surreal" a este post? Porque este fim-de-semana para além de agitado foi completamente surreal.
Neste momento sinto-me como se estivesse no "país das maravilhas" da Alice... aquele que fui ver representado (e muito bem) na noite de ontem!

Enfim... tudo aconteceu demasiado rápido (sem eu me aperceber de nada) e culminou com uma conversa que aconteceu durante a tarde de hoje e que ainda estou a digerir.

Pura e simplesmente há coisas às quais eu não consigo reagir bem.... e neste momento tive um dejá vu de algo que me aconteceu há 12 (quase 13 - maldita memória) anos. Algo ao qual também não reagi bem no inicio... mas que depois acabei por aceitar e que terminou mal... 2 vezes!

Só espero que não seja um mau presságio do que está para acontecer!

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Keep calm


Eu vou aproveitar bem o meu... e vocês? :)

Polvo

Há pessoas que mais parecem polvos do que pessoas.

Quando achamos que estamos a agarrar um bracinho... lá se safam com uma astúcia digna de um ser escorregadio.

Mas eu às vezes também tenho uns raios de esperteza.... e já percebi quais são os momentos e a intensidade certos para pegar nos polvos desta vida.

Aos bocadinhos eu hei-de chegar a bom porto!

Oh bugger!

Em Novembro, comprei uma botas de cano alto que me ficavam perfeitas.

Hoje calcei-as... e o cano, como que por magia, "alargou" e consigo colocar à vontade um dedo entre o cano e a bota.

É necessário tecer mais considerações sobre esta situação? :(